Mensagem

"Não permita que aquilo que você chama de amor se transforme em obsessão.
Amor é liberdade.
Amor é vida.
Jamais prisão ou limitação."

Militão Pacheco

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Cura espiritual 


Você pode conseguir cura espiritual indo em uma igreja, templo, centro espírita, centro holístico, centro de ioga, centro de meditação e até em seu lar.

O conceito efetivo de "cura espiritual" considera que o tratamento acontece por ação de forças e energias não físicas, por atuação  de Espíritos através de um médium.

Essas energias contudo, podem ser de ordem natural, provinda de elementos da natureza, como também de Espíritos  guias, protetores e curadores. 

Não podemos esquecer que é fundamental a participação de um médium nesse processo.

Sem ele(a), o(a) médium, não há como os Espíritos providenciarem a cura, independente de onde o enfermo esteja.

A chave deste tipo de cura é a construção da comunhão perfeita entre o enfermo e as forças sutis dos Espíritos.

Normalmente são as preces, os passes, as intenções corretas, a elevação dos pensamentos, dos sentimentos e das emoções, o caminho mais certo para essa comunhão acontecer.

A Fé nem mesmo é essencial nesse momento.

Enfim, é fundamental a sintonia entre os Espíritos curadores e a Alma enferma para que ocorra o processo de cura espiritual, ainda que o enfermo não tenha consciência do fato.

Além de tudo, o processo pode ser espontâneo, natural, sem que o enfermo se dê conta.

Essa é a grande beleza da ação amorosa dos Espíritos que desejam o Bem da humanidade.

Militão Pacheco.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Hábitos 


O hábito é uma continuidade de reflexos mentais acumulados constantemente induzindo à rotina. 

Herdeiros de milênios, temos reencarnado quase como embarcações ao bel-prazer da correnteza em um fluxo de hábitos aos quais nos ajustamos sem resistência.

Até porque nos causam prazer e dão satisfação. 

Com naturais exceções, todos adquirimos o costume de consumir os pensamentos coletivos pelo automatismo, e, em razão disto, exageramos as nossas necessidades, afastando-nos da simplicidade com que nos seria fácil erguer uma vida melhor.

Esta atitude só serve para ferir o próximo e cicatrizar a nós mesmos.

Retemos  apaixonadamente o instinto da posse e, assim, criamos os reflexos do egoísmo, do orgulho e da vaidade. 

Não se pode, porém, de modo algum, desprezar a rotina construtiva. 

É por ela que o Ser se ergue no espaço e no tempo, conquistando os recursos que lhe enobrecem a vida. 

A evolução, contudo, solicita a aquisição de novos costumes e abandonarmos as fórmulas inferiores.

É por essa razão que temos no Cristo o Divino marco da renovação humana.

Trouxe todo um programa de transformações profundas para o Espírito, chamado Boa Nova ou Evangelho.

Sem qualquer violência altera os padrões da expressão moral em que a Terra vivia há numerosos milênios. E, apesar disso, ainda vive...

Oferece a prática do perdão. 

Permeia a fraternidade legítima. 

Dá  a noção das bem-aventuranças eternas para os aflitos que sabem esperar e para os justos que sabem sofrer.

Muda tudo para todos.

Reformula o modo de pensar.

Estabelece o hábito da simplicidade,

E mais: exemplifica!

Ainda hoje a nossa justiça tem o viés da vingança e o nosso Amor é egoísta  por causa do  reflexo condicionado de nossas atitudes irrefletidas nos milênios que nos precedem atualmente.

Precisamos adotar a bondade e o entendimento sobre as coisas da Vida.

É necessário conquistar o desejo de servir, habitualmente, colaborando para a segurança e felicidade de todos.

Ainda que seja à custa de nosso sacrifício.

Somente assim estaremos realizando uma transformação efetiva de nós para o futuro e  para a evolução.

Júlio César 


quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Egoísmo 


Uma das muitas dificuldades humanas, o egoísmo, transforma o indivíduo em prisioneiro de si mesmo.

Ele cega.

Ele ensurdece.

Ele limita.

Ele incapacita.

O egoísta vive em uma redoma imaginária, crendo que, ao satisfazer necessidades básicas ou complexas, estará pleno.

Entretanto, a satisfação é transitória e, imediatamente, surge alguma outra necessidade, que faz com que o egoísta batalhe novamente para solver tal pendência, ainda que tenha de derrotar alguém.

É como tomar água salgada: em seguida dá mais sede.

Não sabe, quem sofre desse mal, que a solução para suas aflições é parar de tentar satisfazer a si mesmo e passar a servir ao outro.

Ao aprender a servir ele se libertará e viverá sem o círculo vicioso de desejos fúteis.

Progressivamente irá se encaminhando para o verdadeiro caminho da essência que é o Amor.

Citando Lao-Tsé, "Aquele que vence o outro é forte, o que vence a si mesmo é invencível."


Militão Pacheco 


terça-feira, 15 de agosto de 2017

Tédio 


Tem uma sombra que pousa em nossa mente de vez em quando.

Ela se aproveita das brechas fornecidas pela falta de vigilância.

Quando a ausência de dedicação ao próximo se faz presente...

Permeia sensação de vazio no âmago...

Conduz a mente para a desesperança...

Causa sofrimento íntimo sem tradução...

É o tédio corrosivo da Alma!

Há como lutar contra ele! Basta buscar dentro de si o sincero desejo de servir!

Aquele que se dispõe ao serviço generoso em prol do outro que padece ainda mais, irá afastar a sombra do tédio de seu coração!

Basta recordar o Evangelho, que diz "pedi e obteteis" para servir e alcançar!

O trabalho voluntário é ferramenta preventiva contra o tédio e todas as expressões depressivas. Particularmente se executado com carinho e disciplina.

Ser fiel ao Cristo é servir sempre! Aquele que assim procede não permite invasões em seu íntimo!

Albino Teixeira 

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Sentimentos 


Os sentimentos normalmente se transformam com o potencial de dar conotação própria aos acontecimentos.

De acordo com o momento vivido, os fatos passam a ter a significação que nem sempre corresponde à realidade.

Uma lente  escura faz ver o dia com menor intensidade de luz. 

Variando a cor das lentes, varia também o que se tem diante dos olhos.

Os relacionamentos humanos também assumem contornos de acordo com o estado de espírito das pessoas envolvidas.

É preciso conduzir os sentimentos de modo a equilibrar os fatos em relação com eles.

Uma atitude sensata é abrir a mente a fim de bem observar os ocorridos na Vida humana, sem ideias pré-concebidas, permeando o convívio com outras maneiras de pensar.

Somente assim será possível observar a Vida e vivê-la de forma agradável, mesmo nos momentos mais difíceis.

Mas, é fundamental afastar a visão escurecida dos fatos, assim como o modo negativo de analisar tudo.

Primordial colocar em primeiro plano o Amor, a Bondade, a Compaixão, a Ternura, pois aí se tem melhor perspectiva de tudo.

É importante gerar espaços felizes na Alma para que se tenha uma réstia de Luz para que se realize a comunhão com o Bem.

Militão Pacheco 

domingo, 13 de agosto de 2017

O Verbo 


"E o verbo se fez carne, e habitou entre nós".


Assim o planeta Terra recebeu Jesus, o Espírito puro que, na condição humana, veio redimir seus irmãos através da mensagem de Amor revolucionária do Evangelho.

Mais do que isto, exemplificou esta mensagem redentora em toda sua magnitude.

Deu a conhecer aos homens o quão "divina" pode ser a condição humana.

Nós que peregrinamos de encarnação em encarnação, em difíceis e diversas esferas, pudemos assim vislumbrar a Luz brilhante da máxima expressão que pode adquirir a vida na Terra.

Que balizados por esta experiência única, possamos nós seguir esta estrela transformadora que representa Jesus para todos nós.

Com humildade, simplicidade e verdade, que possamos dar os primeiros passos para a tão necessária reforma íntima, que todos devemos promover.

Que a expressão do Divino que é Jesus nos inspire a prosseguir o aperfeiçoamento necessário através da prática da Caridade, da Fraternidade e do Amor que veio nos ensinar.

Abraços fraternos

Brólio 

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Salvação 


Salvar não é divinizar, projetar ao Céu ou mesmo conferir santidade a alguém.

Salvar é “livrar de ruína ou perigo, conservar, defender, abrigar” e nenhum desses termos exime a pessoa da responsabilidade de se conduzir e melhorar-se.

Navio salvo de risco iminente não está livre da viagem na qual enfrentará naturalmente perigos novos.

O Evangelho não deixa dúvidas quanto a isso.

Pedro, salvo da indecisão, trabalha pelo Cristo até o final da Vida.

Paulo, salvo da crueldade, é conduzido à renovação íntima e propaga o Evangelho do Cristo até o final da Vida.

Se você é chamado à verdade pela Doutrina Espírita entenda que a salvação pode estar próxima.

Mas, mesmo assim, recorde que sua jornada deve seguir adiante. Enfrentando obstáculos e superando as dificuldades.

Não  se detenha em reclamações, perdendo mais tempo sobre o tempo perdido.

Reconheça que o tempo oportuno para a salvação ou, melhor, para a corrigenda de nossos erros e aproveitamento da nossa vida, chama-se “agora”.

Júlio César 

Enfermidades cármicas 



São as enfermidade congênitas e as hereditárias e familiares, resultantes dos equívocos que cometemos em uma ou mais das vidas passadas.

As doenças espirituais são aquelas provenientes de nossas escolhas. 

O acúmulo de energias nocivas em nosso perispírito, advindas deste passado equivocado, gera a predisposição para as doenças atuais.

Quando estas energias plasmam o organismo físico, criando um campo energético propício para a instalação de doenças que afetam todos os órgãos vitais, como coração, fígado, pulmões, estômago etc, levam ao adoecimento orgânico.

Essas energias que provocam as doenças atuais, oriundas de reencarnações anteriores, são mantidas no perispírito enfermo enquanto não são "resolvidas" pela Lei de Ação e Reação. 

Ao preparar  o mapa genético de cada um, consciente ou inconscientemente, preparamos nos genes as provas ou expiações que carregamos em nossa bagagem milenar, que se manifestam de acordo com nossas possibilidades em cada reencarnação.

Enquanto persistirem as energias marcadas no perispírito, a "cura" não se completará.


Militão Pacheco 

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Supor 



As suposições podem causar vários transtornos.

Por exemplo, supor que a própria dor é a maior de todas faz com que se menospreze outras pessoas.

Supor que só as coisas que nos agradam são corretas é gerar preconceitos.

Supor que é certo somente o que nos dá coragem e crer que isso dê coragem igualmente a outros é ignorar que tal circunstância possa ser razão do problema deles.

Supor que todos à nossa volta estão errados é mostrar claramente que estamos obsediados.

Supor que somos inferiores na maioria das vezes é limitar a própria evolução.

Enfim, suposições podem até mesmo ser origem de crimes quando atestados por malícia e maledicência.

Suposições são julgamentos.

Julgamentos são atribuições de juízes.

Os juízes terrenos erram como qualquer Ser humano.

Somente a justiça divina julga com precisão, pois é o reflexo do Amor Divino.

Como somos humanos e evidentemente imperfeitos, só deveríamos julgar a nós mesmos, para não gerar mais obstáculos em nossa jornada.


Militão Pacheco 


terça-feira, 8 de agosto de 2017

Amar os inimigos 



Quando Jesus recomendou amar os inimigos não estava fazendo apologia do convívio com o mal.

Ao contrário, estava dando a instrução para o convívio pacífico que pode gerar a imunização contra ele, o mal.

Não é tarefa fácil perdoar, relevar, ter compaixão por quem tenha nos causado algum problema, seja mais ou menos sério.

Mas é necessário para nossa própria saúde física e mental.

Quem perdoa vive livre!

Quando Ele diz "amar", não se refere ao ato de acolhida do adversário sob nosso convívio ou proteção, mas sim ao gesto de compaixão e de perdão.

E perdão não quer dizer confiança plena, mas apenas dar uma oportunidade para que o desafeto possa reparar seu erro e reconquistar nossa confiança e até mesmo nosso Amor.

Essa oportunidade precisa ser plena. Mas com cautela, com atenção e, ao mesmo tempo, respeito.

É fundamental que exista respeito, pois sem ele nada caminha corretamente no sentido de se reequilibrar uma relação, uma amizade, um convívio fraterno, enfim.

Compreende-se, portanto, que para se alcançar o tal perdão é necessário que exista respeito entre as partes envolvidas num sentimento não-fraterno.

Pense nisso, quando venha a surgir algum desentendimento com quem quer que seja, para lhe ajudar a refletir sobre o pacífico desejo de viver em Paz.

Militão Pacheco 

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

A ciência da Paz


 

Senhor! 

Fortalece-nos a Fé para que a Paciência esteja conosco. 

Por tua Paciência, vivemos. 

Por tua Paciência, caminhamos. 

Auxilia-nos, por misericórdia, a aprender tolerância, a fim de que estejamos em Tua  Paz. 

É por tua Paciência que a Esperança nos ilumina e a compreensão se nos levanta no íntimo da alma. 

Agradecemos todos os dons de que nos enriqueces a vida, mas te rogamos nos resguarde a Paciência de uns para com os outros, para que estejamos contigo, tanto quanto estás conosco, hoje e sempre. 


Emmanuel 

domingo, 6 de agosto de 2017

A cada nascer do Sol


Cada nascer do dia é auspiciosa oportunidade de renovação. 

A natureza vai nos premiando assim com a singeleza de suas lições. 

Que saibamos reconhecer a magnitude de suas mensagens. 

Reconhecer as maravilhas da criação é uma forma de "santificar o nome do Pai". 

Súplica tantas vezes repetida a cada "Pai Nosso"... 

Santificar o nome do Pai é ter gratidão constante pelos presentes que a cada momento recebemos da misericórdia divina, é ter gratidão vinda do fundo de nosso entendimento. 

Todos os recursos a nós disponibizados são oportunidades que merecem ser reconhecidas e aproveitadas e agradecidas. 

O próprio joio tem sua serventia. 

Respeitemos nosso planeta, nossa morada sagrada. 

Ampliemos nossa consciência cósmica! 

Este é o legado de nosso Pai que devemos transmitir às futuras gerações de filhos que habitará nosso orbe. 

As futuras gerações de filhos do Pai poderá assim encontrar condições adequadas à sua peregrinação reencarnatoria e aprimorar-se a cada existência, a cada dia da jornada de eternidade que todos nós deveremos trilhar para o progresso. 

Que Jesus nos ampare neste trabalho


Brólio 

Agosto 2017

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Para quê a angústia?


Afaste-se da angústia, essa tristeza difícil insidiosa, contínua, que leva a um estado perturbador.

Essa insatisfação injustificável, perseverante, penosa, conduz a desequilíbrio desnecessário.

Aquela mágoa que você conserva, vitalizada pela revolta sem lógica, que lhe conduz a desajuste infeliz.

Isso que se transforma em melancolia e que lhe empurrando a abismo sem fundo.

Essa "coisa" que aflora com frequência e que se instala nas suas telas mentais representa o nascimento de problema grave para sua Vida.

Ficar remoendo a dor e o mal-estar, só serve para levar a estados infelizes, que só atormentam.

A angústia possui causas, várias.

Nasce de erros que se encontram fixados no Ser desde reencarnações anteriores.

Afeta o psiquismo, o corpo e a vida, adoecendo o Espírito.

Cultive a Paz, que á antídoto da angústia.

Exercite a mente nos pensamentos otimistas e cultive a Esperança, sempre.

Trabalhe com desinteresse, fazendo pelo próximo o que dizes dele não receber.

A Paz é fruto que surge em momento próprio, após a germinação e desenvolvimento do bem no coração.

Toda angústia desaparece com o nobre sentimento da Paz!

Militão Pacheco 

Escolhas


Observando o problema da escolha de provações na Esfera Espiritual no preparo ao retorno para as experiências humanas, imaginemos um campo de serviço terrestre em que cada trabalhador é chamado à execução de tarefa específica.


Certamente, nesse caso, há a liberdade para a execução do serviço a se cumprir.

Quem quer que tenha se utilizado mal das ferramentas à disposição, certamente necessitará repará-lo.

Quem quer que tenha tido a infelicidade de envolver-se em crime, terá reduzido sua independência de ação, e terá que passar por processo adequado de reajuste.

Entretanto, se a criatura satisfaz a todos os requisitos das justas obrigações a que se vê convocado, sem dúvida, plasma, em seu próprio favor, o direito de indicar por si mesmo o novo passo de serviço na direção do futuro, com pleno apoio da espiritualidade superior,  que lhe traça o roteiro para as reencarnações posteriores.

Assim, pois, na Vida Maior, nem todos desfrutam de "improviso" a possibilidade de escolher o lugar ou a situação em que deve  prosseguir no esforço de evolução.

Quase  sempre é fundamental o regresso ao passado de sombras para refazer com dores e lágrimas, amargura e aflição o objetivo  sublime de alcançar a Luz.

Para tal objetivo são necessários à perseverança e a disciplina ao próprio dever.


Militão Pacheco 

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Sexo e Amor 


Ignorar o sexo em nossa edificação espiritual seria ignorar-nos.  Urge, no entanto, situá-lo a serviço do amor, sem que o amor se lhe subordine. Imaginemo-los ambos, na esfera da personalidade, como rio e o dique na largueza da terra. 

O rio fecunda. 

O dique controla. 

O rio espalha forças. 

O dique policia-lhes a expansão. 

No rio, encontramos a natureza. 


No dique, surpreendemos a disciplina. 

Se a corrente ameaça à estabilidade de construções dignas, comparece o dique para canalizá-la proveitosamente, noutro nível. Contudo se a corrente supera o dique, aparece a destruição, toda vez que a massa líquida se dilate em volume. 

Igualmente, o sexo é a energia criativa, mas o amor necessita estar junto dele a funcionar por leme seguro. 

Se a simpatia sexual prenuncia a dissolução de obras morais respeitáveis, é imprescindível que o amor lhe norteie os recursos para manifestações mais altas, porquanto sempre que a atração genésica é mais poderosa que o amor, surgem as crises de longo curso, retardando o progresso e o aperfeiçoamento da alma, quando não lhe embargam os passos na loucura ou na frustração, na enfermidade ou no crime. 

Tanto quanto o dique precisa erguer-se em defensiva constante, no governo das águas, deve guardar-se o amor em permanente vigilância, na frenação do impulso emotivo. 

Fiscaliza, assim teus próprios desejos. 

Todo pensamento acalentado tende a expressar-se em ação. 

Quase sempre, os que chegam além-túmulo, sexualmente depravados, depois de longas perturbações, renascem no mundo, tolerando moléstias insidiosas, quando não se corporifiquem em desesperadora condição inversiva, amargando pesadas provas como consequência dos excessos delituosos a que se renderam. 

À maneira de doentes difíceis, no leito da contenção, padecem inibições obscuras ou envergam sinais morfológicos em desacordo com as tendências masculinas ou femininas em que ainda estagiam, no elevado tentame de obstar a própria queda em novos desmandos sentimentais. 

Ama, pois, e ama sempre, porque o amor é a essência da própria vida, mas não cogites de ser amado. Ama por filhos do coração aqueles de quem, por enquanto, não podes partilhar a convivência mais íntima, aprendendo o puro amor fraterno que Jesus nos legou. 

Mas se a inquietação sexual te vergasta as horas, não te decidas a aceitar o conselho da irresponsabilidade que te inclina a partir levianamente "ao encontro de um homem" ou ao "encontro de uma mulher" muitas vezes em perigoso agravo de teus problemas. 

Antes de tudo, procura Deus, na oração, segundo a fé que cultivas, e Deus que criou o sexo em nós para engrandecimento da criação, na carne e no espírito, ensinar-nos-á como dirigi-lo.


(Do livro "Religião dos Espíritos", pelo Espírito Emmanuel, Francisco C. Xavier)


terça-feira, 1 de agosto de 2017

Falatórios 



Poucas expressões da vida social ou doméstica são tão perigosas quanto o falatório desvairado, que oferece vasto lugar aos monstros do crime.

A atividade religiosa e científica há descoberto numerosos fatores de desequilíbrio no mundo, colaborando eficazmente por extinguir-lhes os focos essenciais.

Quanto se há trabalhado, louvavelmente, no combate ao álcool e à sífilis?

Ninguém lhes contesta a influência destruidora. Arruínam coletividades, estragam a saúde, deprimem o caráter.

Não nos esqueçamos, porém, do falatório maligno que sempre forma, em derredor, imensa família de elementos enfermiços ou aviltantes, à feição de vermes letais que proliferam no silêncio e operam nas sombras.


Raros meditam nisto.

Não será, porventura, o verbo desregrado o pai da calúnia, da maledicência, do mexerico, da leviandade, da perturbação?

Deus criou a palavra, o homem engendrou o falatório.

A palavra digna infunde consolação e vida. A murmuração perniciosa propicia a morte.

Quantos inimigos da paz do homem se aproveitam do vozerio insensato, para cumprirem criminosos desejos?

Se o álcool embriaga os viciosos, aniquilando-lhes as energias, que dizer da língua transviada do bem que destrói vigorosas sementeiras de felicidade e sabedoria, amor e paz? Se há educadores preocupados com a intromissão da sífilis, por que a indiferença alusiva aos desvarios da conversação?

Em toda parte, a palavra é índice de nossa posição evolutiva. Indispensável aprimorá-la, iluminá-la e enobrecê-la.

Desprezar as sagradas possibilidades do verbo, quando a mensagem de Jesus já esteja brilhando em torno de nós, constitui ruinoso relaxamento de nossa vida, diante de Deus e da própria consciência.

Cada frase do discípulo do Evangelho deve ter lugar digno e adequado.

Falatório é desperdício. E quando assim não seja, não passa de escura corrente de venenos psíquicos, ameaçando espíritos valorosos e comunidades inteiras.


Emmanuel.

Sem medo 



Quando se cultiva Fé e Esperança, não se deve permitir que a dúvida se interponha, como sombra, entre a necessidade e o poder de alcançar o Senhor.

Com pensamentos estagnados  em medos e dúvidas fica muito mais complexo alcançar as realizações que se almeja, pois o medo trabalha como uma parede que impede de seguir adiante.

A dúvida pode até auxiliar a experimentação, nesse ou naquele setor do progresso material, mas a hesitação no mundo íntimo é o dissolvente de nossas melhores energias.

Quem duvida de si próprio, perturba o auxílio divino em si mesmo.

Ninguém pode ajudar àquele que não se ajuda.

É essencial entender que a confiança que irá guiar sempre adiante.

É justo persistir no Bem procurando-o com todas as possibilidades ao nosso alcance.

Abandonemos a pressa e deixemos de lado o desânimo.

Ainda que o objetivo surja hoje ou amanhã. 

Vale trabalhar e fazer o melhor que puder, sempre, pois a vida se incumbe de trazer aquilo que se procura.