Mensagem

"Não permita que aquilo que você chama de amor se transforme em obsessão.
Amor é liberdade.
Amor é vida.
Jamais prisão ou limitação."

Militão Pacheco

domingo, 22 de outubro de 2017

Pilatos 


Pilatos hesitava. Seu coração era um pêndulo entre duas forças poderosas… 

De um lado, era a consciência transmitindo-lhe a vontade superior dos Planos Divinos, de outro, era a imposição da turba ameaçadora, encaminhando-lhe a vontade inferior das Esferas mais baixas do mundo.

O infortúnio do juiz romano foi entregar o Senhor aos desígnios da multidão mesquinha.

Na qualidade de homem, Pôncio Pilatos era portador de defeitos naturais que nos caracterizam a quase todos na experiência em que o nobre patrício se encontrava, mas como juiz, naquele instante, seu imenso desejo era de acertar.

Queria ser justo e ser bom no processo do Messias Nazareno, entretanto, fraquejou pela vontade enfermiça, cedendo à zona contrária ao bem.

Examinando o fenômeno, todavia, não nos move outro desejo senão de analisar nossa própria fragilidade.

Quantas vezes agimos até ontem, ao modo de Pilatos, nas estradas da vida? Imaginemos o tribunal de Jerusalém transportado ao nosso foro íntimo.

Jesus não se punha contra o nosso exame, mas, esperando pela nossa decisão, aí permanece conosco a Sua ideia Divina e Salvadora.

Qual aconteceu ao juiz, nosso coração transforma-se em pêndulo, entre as exortações da consciência eterna e as requisições dos desejos inferiores.

Quase que invariavelmente, entregamos o pensamento de Jesus às zonas baixas, onde sofre a mesma crucificação do Mestre.

Vemos assim que Pilatos converteu-se em profundo símbolo para a caminhada humana.


.Emmanuel

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Ser "bom"...


Não fique aflito com a perspectiva de alcançar a perfeição de um dia para outro. 

A evolução não é construída com o improviso. 

A casa é erguida tijolo a tijolo. 

O rio vai se formando gota a gota. 

Um tecido é produzido fio a fio. 

Santidade não é esperada de um discípulo num simples momento.

Assim como a virtude não surge sem esforço e dedicação.

Vemos muitos "jovens" Espíritas ansiosos pela conquista da perfeição...

Mas alcançar a perfeição é árduo e longo trabalho para toda Alma.

Façamos o melhor que pudermos para com aqueles que a Divina Bondade situou em nossos próprios passos, auxiliando-os sempre. 

Façamos o melhor para com os que caíram na margem de nossa própria estrada, oferecendo-lhes a nossa amizade.

Façamos o possível para as vítimas da maldade, amparando-as sem alarde para que a maledicência emudeça e para que a calúnia se imobilize.

Procuremos encorajar os fracos, que não podem ainda caminhar sem a queixa e sem a lágrima, sustentando-lhes o coração com os nossos braços fraternos. 

Por onde passemos há sempre alguém que espera auxílio e amparo.

Ofereçamos a bondade a quem passa por nós e estaremos sendo gratos à Infinita Bondade do Pai Celestial que, em todos os ângulos da vida, nos envolve em suas Bênçãos de Amor.

Militão Pacheco 

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Ciência e Religião 


A ciência no mundo é um conjunto de afirmações provisórias do cérebro, a caminho da sabedoria. 

A religião na Terra é um acervo de revelações parciais do Céu para o coração, a caminho do amor. Ciência e religião representam meios. 

Ambas necessitarão caminhar unidas para cooperar com a evolução real da humanidade.

Há, na verdade, uma linha de raciocínio na qual uma não se diferencia da outra, mas o senso humano, ainda pueril não consegue compreender.

O bem geral é o fim e a necessidade.

Enquanto o Ser humano não obtiver serenidade para compreender que ambas abordam conceitos sobre o Universo em um sentido único, paralizará transitoriamente sua jornada evolutiva.

Mas, a dor - a benção do aprendizado - irá unir as duas forças na trajetória humana na Terra.

Militão Pacheco 

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

No Evangelho 


Se você se encontrou com o Espiritismo, se realmente ele faz parte da sua Vida, se você gosta da Doutrina e ela completa seu coração espiritual...

Não foi para apedrejar o próximo...

Não foi para fortalecer a ingratidão...

Não foi para enriquecer a calúnia...

Não foi para descobrir as chagas alheias...

Mas, sim, para auxiliar com a boa palavra...

Para curar as feridas de seus irmãos...

Para disseminar a fraternidade e 

Para exemplificar o Evangelho diante de todos.

Aproveite a oportunidade e avance em sua evolução, tendo por diretriz a Luz do Evangelho em sua mente, em seu coração, em suas palavras e em seus gestos!

Seja a cada dia outra pessoa; melhor sempre!

Militão Pacheco 

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Prece de Bezerra de Menezes



Elevemos o nosso coração, sempre que possível, ao Senhor e confiemos em Sua Infinita Bondade!

Na prece está a nossa força e no serviço do Bem o nosso refúgio!

Confiemos nosso pensamento à oração e nossos braços ao trabalho com Cristo Jesus.

E Jesus solucionará os nossos problemas com a bênção do tempo.

Paz e esperança ao coração! Cada noite, apesar do cansaço, não olvides alguns minutos com a oração, para que se nos refaçam as forças.

As tarefas seguem intensas, contudo, quanto possível, os Amigos Espirituais procuram amparar-nos as energias e acrescentá-las ainda mais.

Meus irmãos, muitos Amigos da Espiritualidade sustentam-nos as forças na travessia difícil das horas que passam.

Através da oração recolheremos, como sempre, a inspiração de que necessitamos na superação das lutas redentoras.

Guardemos a tranqüilidade mental!

Através da oração, as tarefas do lar são sustentadas com a bênção do Alto.

Receberemos, pela oração, o concurso espiritual, rogando a Jesus para que os nossos corações sejam fortificados no caminho de dor e luz em que nos encontramos.

Agradeçamos a Jesus as bênçãos de cada dia e confiemos na proteção divina, hoje e sempre!

Cada noite consagremos alguns momentos à oração, momentos esses de que se valerão os Amigos Espirituais que nos amparam, a fim de insuflar-nos novas forças para o desempenho de nossas tarefas.

Reanimemo-nos e guardemos o bom ânimo na certeza de que a fé viva em Deus é luz que nos auxilia a dissipar todas as sombras.

Jesus nos abençoe!

Roguemos a Ele, nosso Eterno Benfeitor, nos abençoe os planos de trabalho e renovação à frente do futuro.

Livro: Apelos Cristãos.

Francisco Cândido Xavier por Bezerra de Menezes

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Evangelho 

"Cremos que a importância do Evangelho de Jesus em nossa evolução espiritual é semelhante à importância do Sol na sustentação de nossa Vida física." 

Allan Kardec 

É preciso ler o Evangelho.

É necessário estudar o Evangelho.

É fundamental entender o Evangelho.

É vital viver o Evangelho.

Ele pode mudar a Vida de qualquer um de nós para muito melhor, pois nos dá estrutura para compreender a Vida, tenacidade para enfrentar as dificuldades e Esperança ao vislumbrar um futuro com justiça em função do conhecimento sobre a reencarnação e a Lei de causa e efeito que gere a existência de todos.

Militão Pacheco.

domingo, 15 de outubro de 2017

Gentileza 


O Criador atende aos homens por intermédio das próprias criaturas.

Por isso, fazer da gentileza uma prece constante permite que a Celeste Bondade se manifeste em todos nós. 

Recorrer à Providência Divina entre a revolta e o pessimismo, não é coerente e tampouco gera alívio.

O melhor mesmo é buscar a esperança, a fim de que o coração se mantenha preparado, à frente das bênçãos que se propõem a recolher. 

Ninguém na Terra é tão mau que não possa fazer algum Bem nas dificuldades do caminho... 

Mesmo em pessoas consideradas más, há sempre um filho de Deus.

Sendo compassivo se atrai a bondade!

Sendo amigo do próximo, a amizade do próximo virá ao teu encontro. 

O carinho fraterno é uma fonte de bênçãos.

Não devemos esquecer de que o Mestre nos espera ao lado das próprias criaturas que caminham conosco.

Sejamos dedicados à cortesia e da gentileza, em todos os instantes, para que não aconteça venhamos a dizer, depois da oportunidade perdida: 

–“Efetivamente, o Senhor estava junto de mim, mas não pude senti-Lo.” 

Militão Pacheco 

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Sempre 


A dificuldade é mestra que a vida nos entrega para alcançarmos nossos tesouros.

Sem a porta estreita do obstáculo, não conseguiríamos medir a nossa capacidade de trabalho ou ajuizar quanto à nossa Fé. 

As lições do próprio suor são sempre as mais preciosas, aquelas que sempre recordamos.

Os ensinamentos que vêm da própria renúncia são aqueles que ficam gravados na Alma para sempre.

Ouvimos mil conselhos edificantes, mas nem sempre aprendemos com eles.

Basta, porém, por vezes, uma pequena dor para que se nos consolide a cautela diante do perigo.

À primeira alfinetada do caminho sobre nossas esperanças mais caras, habitualmente nos perdemos bem à distância do equilíbrio, convocando golpes e lágrimas, exigências e sombras. 

Saibamos, no entanto, respeitar, na “porta estreita” que o mundo nos impõe, o socorro da Vida Maior, a fim de que possamos reconsiderar a própria marcha. 

Ela pode ser a enfermidade que nos auxilia a preservar as vantagens da saúde; em muitas fases de nossa luta.

É  a incompreensão alheia, que nos compele ao reajuste necessário; em muitos passos da senda. 

É  a prova que nos segrega no isolamento, impelindo-nos a seguir, pela escada miraculosa da prece, da Terra para os Céus... 

Algumas vezes, é o abandono de pessoas muito amadas a impulsionar-nos para os braços de Cristo.

É  o desencanto ante a enganosa satisfação de nossos desejos na experiência física, inspirando-nos ideais mais altos.

Algumas vezes é a presença da morte que nos obriga a refletir na imortalidade.

Por onde formos que possamos agradecer a dificuldade que nos melhore e nos eleve à grande renovação.

Jesus não escolheu a larga avenida do menor esforço. 

Legou-nos, com exemplo vivo, a porta estreita do sacrifício como sendo o nosso mais belo caminho de paz e libertação.

Militão Pacheco 

O Evangelho e a Educação


Quando o Mestre confiou ao mundo a divina mensagem da Boa Nova, a Terra, sem dúvida, não se achava desprovida de sólida cultura.

Na Grécia, as artes haviam atingido luminosa culminância e, em Roma, bibliotecas preciosas circulavam por toda parte, divulgando a política e a ciência, a filosofia e a religião.

Os escritores possuíam corpos de copistas especializados e professores e méritos conservavam tradições e ensinamentos, preservando o tesouro da inteligência.

Prosperava a instrução, em todos os lugares, mas a educação demorava-se em lamentável pobreza.

O cativeiro consagrado por lei era flagelo comum.

A mulher, aviltada em quase todas as regiões, recebia tratamento inferior ao que se dispensava aos cavalos.

Homens de consciência enobrecida, por infelicidade financeira ou por questiúnculas de raça, eram assinalados a ferro candente e submetidos à penosa servidão, anotados como animais.

Os pais podiam vender os filhos.

Era razoável cegar os vencidos e aproveitá-los em serviços domésticos.

As crianças fracas eram, quase sempre, punidas com a morte.

Enfermos eram sentenciados ao abandono.

As mulheres infelizes podiam ser apedrejadas com o beneplácito da justiça.

Os mutilados deviam perecer nos campos de luta, categorizados à conta de carne inútil.

Qualquer tirano desfrutava o direito de reduzir os governados à extrema penúria, sem ser incomodado por ninguém.

Feras devoravam homens vivos nos espetáculos e divertimentos públicos, com aplauso geral.

Rara a festividade do povo que transcorria sem vasta efusão de sangue humano, como impositivo natural dos costumes.

Com Jesus, entretanto, começa uma era nova para o sentimento.

Condenado ao supremo sacrifício, sem reclamar, e rogando o perdão celeste para aqueles que o vergastavam e feriam, instila no ânimo dos seguidores novas disposições espirituais.

Iluminados pela Divina Influência, os discípulos do Mestre consagram-se ao serviço dos semelhantes.

Simão Pedro e os companheiros dedicam-se aos doentes e infortunados.

Instituem-se casas de socorro para os necessitados e escolas de evangelização para o espírito popular.

Pouco a pouco, altera-se a paisagem social, no curso dos séculos.

Dilacerados e atormentados, entregues ao supremo sacrifício nas demonstrações sanguinolentas dos tribunais e das praças públicas, ou trancafiados nas prisões, os aprendizes do Evangelho ensinam...

a compaixão e a solidariedade,

a bondade e o amor,

a fortaleza moral e a esperança.

Há grupos de servidores, que se devotam ao trabalho remunerado para a libertação de numerosos cativos.

Senhores da fortuna e da terra, tocados nas fibras mais íntimas, devolvem escravos ao mundo livre.

Doentes encontram remédio, mendigos acham teto, desesperados se reconfortam, órfãos são recebidos no lar.

Nova mentalidade surge na Terra.

O coração educado aparece, por abençoada luz, nas sombras da vida.

A gentileza e a afabilidade passam a reger o campo das boas maneiras e, sob a inspiração do Mestre Crucificado, homens de pátrias e raças diferentes aprenderam a encontrar-se com alegria, exclamando, felizes: — “ meu irmão”.


Emmanuel, da Obra "Roteiro"

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Prece 


Senhor Jesus. 

Quando me chames a doar algo do que tenha ou do que eu seja, se não puder oferecer o muito que devo, auxilia-me a entregar o pouco do que disponha. 

Se eu não tiver essa ou aquela migalha de recursos materiais em favor dos companheiros em penúria, concede-me forças para dedicar-lhes algum momento de trabalho, sem qualquer idéia de recompensa. 

Entretanto, Senhor, se o tempo vier a faltar-me para isso, ajuda-me a falar, no apoio aos irmãos que sofrem, a boa palavra que indique a senda do bem.

Se isso, ainda, não me for possível, guarda -me o silêncio na prece endereçada ao teu Infinito Amor, a rogar-te intercessão e socorro, porque, através da prece, enviar-nos-ás alguém que me substitua e que fará pelos outros muito mais e melhor. 

André Luiz

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Sutilmente sorria



É bom manter o bom humor. 

Faz bem para a saúde.

Evidente que todo excesso pode ser prejudicial, então o bom humor também é recomendado com temperança, mas ele necessita estar presente em nossas vidas.

Ele dá o tom para que tenhamos resiliência, isto é, elasticidade para enfrentar os problemas que evidentemente iremos enfrentar.

Ninguém fica sem problemas, mas precisamos aprender a olhar para eles com leveza, com serenidade, não focando somente o lado desagradável que cada problema causa.

Os problemas sempre têm algo para auxiliar sempre.

Então, olhar para eles e extrair algo é de fundamental importância para não nos deixarmos derrotar e, com o aprendizado, seguir adiante, sem morecer excessivamente.

Para viver melhor é fundamental buscar alguma realidade de vida e, no bom humor, encontraremos o apoio necessário para expandir nossos potenciais.


Armindo Ferreira

domingo, 8 de outubro de 2017

Há muitas moradas


Ninguém precisa sair da Terra para entrar em relação com mundos diferentes, acima ou abaixo do nosso. 

A diversidade de nossas moradas começa neste mundo mesmo. 

Cada mente vive na faixa vibratória dos desejos que lhe são próprios. 

Cada coração bate em acordo com os sentimentos que a mente compartilha. 

Temos residência onde situamos a própria Alma. 

Mesmo quem more em uma mansão, pode se sentir no inferno. 

Existe quem se demore num barraco, mas tem em seu íntimo as alegrias de um paraíso interior. 

Pode-se transitar por estradas obscuras procurando luz.

Pode-se caminhar entre luzes apenas pelo poder das boas atitudes.

Cada Espírito permanece na posição que lhe agrada. 

Cada dia, com o Evangelho no coração, nas palavras e nas atitudes, é mais um passo para as eminências da Vida. 

Os sentimentos nobres são organizadores do ambiente para a sustentação do próprio indivíduo a benefício de todos. 

Jesus, até hoje, convida-nos, através da Boa Nova, a construir a esfera mais elevada em que nos cabe marchar para Deus.

Militão Pacheco 


sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Animais têm Alma 


Os cães como todos os seres viventes, possuem alma e segundo nosso irmão Chico Xavier, se tratados com respeito, amor e carinho, podem após seu desencarne, ainda permanecer até 4 anos ao lado de quem tanto lhe deu amor. 

É uma forma de não sofrerem com a separação. 

Mas eles voltam ter a mesma vitalidade de quando eram filhotes. 

Quem já perdeu um amigo, fique sabendo que ele continuou ou continua ao seu lado, com a mesma felicidade de sempre!!!


Os animais, diferentemente, do homens, não possuem o tempo da erraticidade (intervalo mais ou menos longo entre uma encarnação e outra). 

Quando morrem, quase que instantaneamente, sua alma ou energia vital é atraída, magneticamente e por afinidade para mais um processo de encarnação. 

Dessa forma, de pouquinho em pouquinho, vai progredindo. Devemos lembrar que a lei do progressa é um dos princípios fundamentais da doutrina espírita. 

A alma de alguns animais podem, a exemplo dos cachorros, retornar rapidamente para seu dono, através de outro que nasça. Mas isso ocorre, somente, por merecimento e mérito nosso. Isso nos leva a entender que assim como nós seres humanos que buscamos a evolução em direção a Jesus, também os animais buscam a evolução em direção à nós. 

A energia vital que os habita sente as experiências vividas e apreende as sensações que lhes é como as nossas provas e expiações. 

O resultado é a progressiva evolução entre os reinos animais e as personalidades únicas evidenciadas pelos diferentes animais e suas características. 

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Espiritismo e as outras religiões 



Pergunta 335 do livro "O Consolador": 

O Espiritismo veio ao mundo para substituir as outras crenças? 

Resposta: O Consolador, como Jesus, terá de afirmar igualmente: “Eu não vim destruir a Lei”. O Espiritismo não pode guardar a pretensão de exterminar as outras crenças, parcelas da verdade que a sua Doutrina representa, mas, sim, trabalhar por transformá-las, elevando-lhes as concepções antigas para o clarão da verdade imortalista. A missão do Consolador tem que se verificar junto das almas e não ao lado das gloríolas efêmeras dos triunfos materiais. Esclarecendo o erro religioso, onde quer que se encontre, e revelando a verdadeira luz, pelos atos e pelos ensinamentos, o espírita sincero, enriquecendo os valores da fé, representa o operário da regeneração do templo do Senhor, onde os homens se agrupam em vários departamentos, ante altares diversos, mas onde existe um só Mestre, que é Jesus Cristo.

O que você faz?


Como são seus dias?

Compreende seus deveres de amor, gentileza e assistência para com os que convivem com você; e suas obrigações de respeito, solicitude e atenão para com os superiores e subalternos?

Vivendo em comunidade, na luta diária, sabe livrar seu fágado e seu coração das nefastas projeções vibratórias do ódio e da revolta?

Exercita, regularmente, suas noções de fraternidade?

Combate a intemperança mental pela contenção dos impulsos inferiores?

Procura dar a cada pessoa que o cerca o que lhe pertence?

Serve sem reclamações e evita o clima escuro da maledicência?

Põe o espírito de serviço acima de suas preocupações individuais?

Cultiva e preserva, em suma, a própria paz?

Pense em tudo isso e responda a você mesmo: sabe servir?

Então, você está na jornada de trabalho, com Jesus?

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Abençoa 



Não basta temer a violência. 

É preciso algo fazer para erradicá-la. 

Sem dúvida, as medidas de repressão, mantidas pelos dispositivos legais do mundo, são recursos que a limitam.

No entanto, nós todos, – os Espíritos encarnados e desencarnados, – com vínculos na Terra, podemos colaborar na solução do problema. 

Tenhamos compaixão dos irmãos envolvidos na delinquência, a fim de que possamos ter sentimentos de indulgência. 

Tanto quanto pudermos, não participemos de boatos ou de julgamentos precipitados, em torno de situações e pessoas. 

Silenciemos diante de palavras agressivas. 

Não nos entreguemos a manifestações de revolta.

Ao invés de criticarmos, procuremos o lado melhor das criaturas e das ocorrências, para  construírmos o Bem. 

Auxiliemos para a elevação, abençoando sempre. 

Lembremos de que uma faísca é capaz de gerar incêndios calamitosos e, às vezes, um gesto ou uma palavra infeliz de nossa parte pode suscitar nos outros as piores reações de vandalismo e destruição.

O melhor, mesmo é evitar confrontos.

Sempre. Até mesmo porque, nos confrontos nos igualamos aos violentos...

Médiuns sensitivos


Chamam-se assim às pessoas suscetíveis de sentir a presença dos Espíritos por uma impressão vaga, por uma espécie de leve roçadura sobre todos os seus membros, sensação que elas não podem explicar.

Esta variedade não apresenta caráter bem definido.

Todos os médiuns são necessariamente impressionáveis, sendo assim a impressionabilidade mais uma qualidade geral do que especial.

É a faculdade rudimentar indispensável ao desenvolvimento de todas as outras.

Difere da impressionabilidade puramente física e nervosa, com a qual preciso é não seja confundida, porquanto, pessoas há que não têm nervos delicados e que sentem mais ou menos o efeito da presença dos Espíritos, do mesmo modo que outras, muito irritáveis, absolutamente não os pressentem.

Esta faculdade se desenvolve pelo hábito e pode adquirir tal sutileza, que aquele que a possui reconhece, pela impressão que experimenta, não só a natureza, boa ou má, do Espírito que lhe está ao lado, mas até a sua individualidade, como o cego reconhece, por um certo não sei quê, a aproximação de tal ou tal pessoa.

Torna-se, com relação aos Espíritos, verdadeiro sensitivo. Um bom Espírito produz sempre uma impressão suave e agradável; a de um mau Espírito, ao contrário, é penosa, angustiosa, desagradável.


passagem do Livro dos Médiuns

domingo, 1 de outubro de 2017

Com pressa 


As vezes temos pressa para que aconteçam as coisas em nossa vida. 

A ânsia de resolver logo atropela nossa mente e confunde nosso coração.

A aflição toma conta de nós e entramos em desequilíbrio.

Algumas vezes até mesmo ficamos cegos pelas circunstâncias.

A aflição se desdobra em agitação, que se espalha em irritação e perdemos o controle dos pensamentos, das palavras e das atitudes. 

Falamos o que não deveríamos.

Fazemos o que não nos é lícito e tampouco necessário.

A Vida fica ainda mais confusa e a ansiedade agrava, fechando um círculo vicioso que são sempre para agravar o quadro no qual nos encontramos.

É preciso parar!

É preciso refletir!

Respirar fundo, com calma, sem que permitam que a agonia perdure.

A busca por algo melhor é fundamental. 

Nada de manter o padrão mental que propicia o sofrimento e a dor.

Temos que gerar outra forma de pensar.

Recordemos que as preocupações não constroem e não geram harmonia, geralmente levam a esse estado emocional já citado.

O círculo virtuoso precisa ser criado em nossa vida e, para isso, é fundamental buscar no Evangelho do Cristo as forças necessárias.

É este, com certeza, nosso porto seguro, ainda que, inicialmente não se consiga absorver bem os ensinamentos ainda que as palavras pareçam ser confusas e ainda não toquem nosso coração.

A persistência na leitura é muito importante a qualquer momento do dia, mesmo no despertar precoce da madrugada.

Que o Evangelho seja nosso guia sempre para elevar nossos pensamentos e melhorar a qualidade das nossas vidas.

Seguir ao Cristo, verdadeiramente, é essencial para a vida.

Militão Pacheco 

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Prece 



Amado Jesus! 

Suplicando abençoes a nossa casa de fraternidade, esperamos por teu amparo, a fim de que saibamos colocar em ação o amor que nos deste. 

Auxilia-nos a exercer a compaixão e o entendimento, ensinando-nos a esquecer o mal e a cultivar o bem, na paciência e na tolerância uns para com os outros. 

Ajuda-nos a compreender e servir, para que a nossa fé não seja inútil. 

Faze-nos aceitar na caridade o esquema de cada dia e induze-nos os braços ao trabalho edificante para que o nosso tempo não se torne vazio.

Sobretudo, Senhor, dá-nos humildade, a fim de que a humildade nos faça dóceis instrumentos nas tuas mãos. 

E, agradecendo-te o privilégio do trabalho, em nosso templo de oração, louvamos a tua Infinita

Bondade hoje e sempre.

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Alegria 


A alegria deveria ser o foco contínuo no campo da experiência terrena.

Circunstâncias diversas e principalmente as da indisciplina podem alterar o clima de Paz em torno de nós.

Dentre elas destaca-se a palavra impulsiva, como modelo de incompreensão, a instalar choques entre as pessoas.

Por isso é importante o nosso dever básico de vigiar a nós mesmos o tempo todo, ampliando os recursos de entendimento. 

Sejamos indulgentes. 

Se erramos, peçamos perdão. 

Se outros erraram, perdoemos. 

O mal que desejarmos para alguém hoje, conduzirá  para o mal para nós amanhã. 

Quem não reconhece as próprias imperfeições demonstra incoerência em si mesmo. 

Quem perdoa desconhece o remorso. 

Ódio é fogo invisível na consciência. 

O erro, por isso, não pede aversão, mas compaixão. 

O Ser humano dispensa quem o censure, mas necessita de quem o estime.

Quanto mais conhecemos a nós mesmos, mais amplo em nós o poder de perdoar.

Aprendamos, com o Evangelho, a fonte inesgotável da Verdade. 

Militão Pacheco 

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

O cavalo branco 


Havia uma Mestre de determinada localidade que ficara sabendo de um pequeno lugarejo onde as pessoas estavam se perdendo nas paixões e nos vícios.


Convocou determinando servidor profundo conhecedor das leis religiosas para que se movimentasse até o lugarejo e lá pudesse dar suporte e sustentação à todas aquelas pessoas que se envolveram em crimes e situações vexatórias.

Passado um período relativamente longo, tal Mestre mantinha-se ciente de que a situação do lugarejo não só não havia melhorado como havia se agravado.

Então convocara seu pupilo para que viesse lhe prestar contas sobre a sua tarefa de levar a paz e a harmonia ao local.

Uma vez convocado, o estudioso compareceu diante do mestre e vestido de roupa alva, clara, branca, se postou diante dele preparado para responder as interrogações que seriam feitas.

A primeira pergunta:

- O que fizeste em sua jornada?

- Em primeiro lugar eu me isolei num campo, em uma região que todos sabiam que eu estava para evitar de me contaminar com a impureza daquelas pessoas.

- Mas não fizeste nada?

- Eu me mantive calado, mudo, para não me comprometer com a eventualidade das palavras.

- Mas é lícito que você se isole e que você se cale, mas o isolamento não lhe permitiria estar diante deles para ajuda-los? E a falta da palavra não estimularia ninguém a se transformar. Não fizeste mais nada?

- Tenho me vestido de branco para demonstrar a pureza dos meus sentimentos.

- É, a expressão da roupa não é tão importante, porque se você tivesse estendido as mãos para ajudar e tivesse sujado a roupa com alguma nódoa, era só lavar a roupa e ela voltaria a ficar branca. Não tomaste nenhuma atitude?

- Me alimentei exclusivamente com elas, porque é muito importante que não nos contaminemos com as paixões e com os vícios da alimentação.

- Apesar de ser uma atitude digna, devemos recordar da importância de nos alimentarmos bem com carnes, ovos, leite de origem animal para protegermos a organização fisiológica.

- Ah! Mas eu também dormi ao relento, para demonstrar que não necessitamos de luxo ou de excessos para viver.

- Da mesma forma, se você se expõe, acaba adoecendo e não poderá ajudar a ninguém.

Ao terminar de falar, o Mestre entra no recinto, no amplo salão, num lindo cavalo branco, carregando em seu dorso um homem todo ferido, que o cavalo havia recolhido nas areias do deserto onde ele havia sido assaltado e ferido.

Imediatamente o Mestre se dirige a ele; ao cavalo e ao homem; e pede a intercessão de todos para que pudesse ajuda-lo no socorro.

Uma vez atendido o doente, afagando a crina do cavalo branco, ele se dirige ao pupilo e diz assim:

- Este animal também vive isolado na natureza, é todo branco, alvo, alimenta-se de ervas, não se comunica também através da expressão humana, mas nem por isso deixou de socorrer um enfermo e trazê-lo para o amparo.

Virou as costas e deixou o seu pupilo pensando no que deixara de fazer.

Que Jesus nos ampare.p

 

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Mediunidade 


A mediunidade é aquela luz que seria derramada sobre toda a Terra aos tempos do Consolador, atualmente em curso na Terra. 

A missão mediúnica, se tem os seus percalços e as suas provas espirituais, é uma das mais belas oportunidades de progresso e de regeneração, concedidas por Deus aos seus filhos imperfeitos ou endividados. 

Sendo luz que brilha na Vida, a mediunidade é atributo do Espírito, patrimônio da Alma imortal, elemento renovador da posição evolutiva da criatura terrena, enriquecendo todos os seus valores no capítulo do sentimento e da inteligência, sempre que se encontre ligada aos princípios evangélicos na sua trajetória pela face do mundo.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Paciência 


A dor é uma mestra que Deus envia a seus filhos para ajudá-los a lembrar de suas responsabilidades.

Não adianta ficar aflito, pois, quando se sofre, na verdade há um embate contra o próprio destino, pois o que está acontecendo é um fenômeno de depuração para a Alma.

Por isso, antes, agradeça a Deus  que, pela dor que, neste mundo, nos marcou para a glória no céu. 

É importante ser paciente!

A paciência também é uma forma de Caridade. 

E é  necessário praticar a Lei de Caridade, ensinada pelo Cristo, enviado de Deus. 

"A caridade que consiste na esmola dada aos pobres é a mais fácil de todas." 

Mas, ao se desenvolver paciência, pratica-se uma forma de Caridade que, infelizmente, não é muito comum.

Aquela que compreende a dor; que a perdoa, enfrenta, suporta e vence! Sem revolta, sem lamentos!

É dessa forma de Caridade que mais precisamos, mas ela só nasce de nós quando tivermos o gérmen da Fé, pois esta, sim, nos dá a essência para compreender naturalmente causa e efeito, ação e reação na relação com a dor.

Nesta caminhada iremos conquistar a bagagem para a Eternidade! 

domingo, 24 de setembro de 2017

Vivência 


Vamos à deriva diante das circunstâncias difíceis que a vida nos oferece. 

Temos medo, sofremos, ficamos revoltados, entregamos tudo para o desespero.

Esquecidos de que somos seres imortais, conduzimos nossos passos para o desfiladeiro das sombras.

Mas não precisaria ser assim. Não deveria.

Se parássemos por um instante para refletir observariamos que a Vida é muito mais do que os momentos e obstáculos que enfrentamos.

Nada do que nos acontece pode nos atingir a Alma de tal forma que nos tire a condição de Espíritos.

Somos Espíritos vivendo num mundo material transitório.

A matéria, a vida material, é passageira, certamente, e isso serve para vivenciar tanto no aprendizado da experiência com a própria matéria e suas leis, no intercâmbio com as pessoas encarnadas conosco e também no intercâmbio com a vida maior, dos Espíritos desencarnados.

A impermanência na vida material, entretanto, não deveria fazer de nós passageiros perdulários, pródigos. 

Deveríamos observar a responsabilidade para com as oportunidades, sendo todo fiéis depositários diante do Criador e agindo com responsabilidade diante da vida.

Aprender é a essência de tudo em nossa experiência terrena.

Aprender a aprender,

Aprender a viver,

Aprender a respeitar,

Aprender a trabalhar,

Aprender a cultivar a disciplina,

Aprender a amar.

Se tivermos foco neste aprendizado, não somente como experiência na Vida, mas como escolhas, ele servirá para toda a existência, diante da eternidade também.


Herculanum. 

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Fora da vontade não há solução 


Realmente, a caridade é a chave do Céu, entretanto, não nos esqueçamos de que a boa vontade é o começo da sublime virtude, tanto quanto o alicerce é o início da construção. 

Se encontrarmos a cólera no espírito do companheiro e não temos a boa vontade da paciência, indiscutivelmente, atingiremos lamentáveis conflitos. 

Se o desânimo nos visita e não dispomos de boa vontade na resistência, dormiremos delituosamente na inutilidade. 

Se a maldade nos persegue e não exercitamos a boa vontade da desculpa compreensiva, desceremos a deploráveis movimentos de reação com resultados imprevisíveis. 

Se o trabalho nos pede sacrifício e não usamos a boa vontade da renúncia, o atraso e a sombra dominarão a vida que devemos iluminar e sublimar.

Se o insulto nos surpreende e não praticamos a boa vontade do silêncio, cairemos na desesperação. 

Se a prova nos procura, em favor de nossa regeneração e fugimos à boa vontade da conformação e da diligência, demorar-nos-emos indefinidamente na brutalidade, adiando sempre a nossa elevação para a Vida Superior. 

De todos os males que escravizam as nossas almas, na Terra, os maiores são a ignorância e a penúria. 

Para combatê-los e extingui-los, tenhamos a precisa coragem de trabalhar e servir, auxiliando-nos reciprocamente, aprendendo sempre e semeando o bem, cada vez mais, porque, se a caridade é o nosso anjo renovador, devemos reconhecer que, nos variados problemas da jornada na Terra, sem a boa vontade não há solução. 

Emmanuel

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Prática Cristã




Esperar com resignação. 

Sentir com boa Fé

Conhecer para aprender. 

Cooperar com respeito. 

Melhorar a si mesmo. 

Perseverar para evoluir. 

Silenciar para colaborar. 

Servir com dignidade.

Ensinar com carinho. 

Viver para buscar a Luz. 

Progredir com humildade.

Somente assim encontraremos Jesus.


Militão Pacheco.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Santuário interior 


Na procura da felicidade e da paz, todos somos viajantes do mundo, caminhando sobre as cinzas de nossos ídolos mortos. 

Construímos palácios de ouro de que nos retiramos desencantados e abraçamos paixões que nos calcinam os sonhos, a fogo de aflição. 

Seguimos para diante, entre flores que morrem, luzes que se apagam, cânticos que emudecem... 

Só existe, na vida, em verdade, uma edificação que resiste à ventania implacável das horas –aquela em que nossa alma recolhe da argila humana a experiência necessária para erguer em si mesma o templo da humildade e do amor. 

Santuário feito de suor e de lágrimas, nele rendemos culto incessante à compreensão e à fraternidade, por facultar-nos mais amplo entendimento da Bondade de Deus. 

Nele, por vezes, agoniada solidão nos aflige, entretanto, é aí dentro que conseguimos silêncio bastante para ouvir os apelos do Alto que nos conclamam à Luz Espiritual, através da renunciação no bem dos outros. E, quase sempre, a fim de erigi-lo, no coração e na consciência, é imprescindível padecer provas e dores que nos aproximem da vida. 

Alcançando-o, porém, respiramos na antecâmara da Vida Mais Alta, porque aí, nesse recanto indevassável fala o Mestre e ouve o aprendiz, assimilando, por fim, a lição que o integrará na posse do Céu em si mesmo para sempre. 


Agar

Sempre bom lembrar


A Casa Espírita é uma equipe de pessoas de boa vontade que trabalha em prol de outras pessoas, da Casa Espírita e de si mesmos.

Todo trabalhador voluntário de cada Centro Espírita é uma porta aberta para Vida Espiritual, dentro da Casa ou fora dela, mantendo intercâmbio perene com a Vida Maior.

Durante o trabalho, efetuado com boa vontade, facilitam o intercâmbio para com as Entidades Amorosas que assistem a todos os necessitados que frequentam tal Casa, encarnados ou desencarnados.

Antes e após o trabalho, precisam permanecer em vigilância para manter o mesmo contato nas situações do cotidiano e poder agir sob a inspiração dos tutores de Amor que os inspiram durante o trabalho digno na Casa Espírita.

A prece, a leitura edificante, a busca por assuntos dignos no relacionamento com as pessoas fará o papel de adequar a todos neste propósito.

A disciplina tem importante papel para a definição da jornada do trabalhador voluntário do Espiritismo, tanto quanto a boa vontade e a determinação.

Trabalhador disciplinado, com desejo de servir no Bem, aproxima-se de Bons Amigos Espirituais e passa a ser instrumento de Amor na Causa e na Casa Espírita.

Que cada um possa dar o seu melhor em seus trabalhos!



Militão Pacheco

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Os Anjos 


Conta-nos um amigo da Vida Espiritual uma história muito interessante sobre um irmão, um ser humano que iria reencarnar, por quem o Criador teve algum cuidado especial como com todos nós.

A referência das cores que serão dadas são apenas referências, sem que impliquem em alguma realidade para com a Vida Espiritual.


Ao ser gerado, o Criador o acompanhou e encaminhou a ele alguns anjos para que a sua encarnação pudesse frutificar, que ele pudesse se aproximar do Criador cada vez mais.

Ao despertar para a vida material o anjo lirial, através dos lábios da mãezinha querida, dizia ao recém nato:

- Papai do Céu! Criador!

Com o seu desenvolvimento, nos primeiros anos nos bancos escolares, um anjo verde, através da professora, dos ensinos primários, lhe ensinava as palavras: "Deus Nosso Criador, Nosso Pai"!

Evoluindo e crescendo nos bancos da universidade, através dos livros de Filosofia e Ciência, um anjo dourado lhe inspirada a sabedoria, o conhecimento. 

Era o Anjo da Sabedoria. Tendo contado com os livros acadêmicos, entretanto, começou a se questionar sobre a vida, começou a questionar sobre a existência de Deus, por mais que os três anjos lhe abordassem, não conseguia dar ouvidos. E a dúvida: "Será que Deus existe? Existe mesmo um Criador?" Começou a lhe atormentar.

Até que por inspiração destes três anjos, da Pureza, da Esperança e da Sabedoria, conseguiu se dirigir a uma casa de oração, local no qual, ouviu as palavras de um sacerdote inspirado por um anjo azul, o Anjo da Fé, para que pudesse se sensibilizar e se aproximar mais do Criador.

Mas, a sua teimosia, a sua renitência, impedia que ele se aproximasse de Deus e os questionamentos íntimos o atormentavam cada vez mais.

Então inspirado pelos anjos, começou a ler as obras religiosas, sendo inspirado através delas por um anjo róseo, o Anjo da Caridade que lhe inspirava a trabalhar e servir em favor do próximo.

Mas, nenhum destes anjos conseguia sensibilizá-lo. A sua teimosia era maior, recalcitrante, equivocado.

Os anjos se reuniram e foram ao Criador pedir socorro. E o Criador lhe enviou o socorro.

Assistiram entristecidos a presença de um anjo cinzento, triste e sério, que se aproximou do nosso irmão, sem que utilizasse de qualquer instrumento e lhe assoprou o coração. 

Imediatamente, o mal-estar, a taquicardia, a falta de fôlego, a falta de ar, o enfraquecimento das forças, a sudorese, e o início da lucidez, a percepção de que a Vida era uma ilusão. 

Por mais que tivesse constituído família, tivesse tido filhos, tivesse condições para se manter materialmente, começara a perceber que tudo aquilo que tinha era ilusório, passageiro. O corpo era perecível.

E pela primeira vez, com os olhos cheios de lágrimas, voltou-se para Alto pedindo:

- Pai que estás nos Céus, acolhe esse filho transviado e me permita tentar mais uma vez.

Pela benção do Criador, por acréscimo de bondade, ele persistiu na Terra para tentar aprender mais e levar esse aprendizado aos seus irmãos.

O último anjo que o visitara, o anjo cinzento, era o Anjo da Enfermidade.

Que Deus nos abençoe!

domingo, 17 de setembro de 2017

Saúde Espiritual

Queridos amigos,

O que falar da saúde?

Nosso bem maior, concessão do Pai através da existência.

O seu entendimento extrapola os limites da física lidado. Saúde compreende o Bem estar maior da participação e criação de um ambiente, de uma psicosfera propicia a vida plena e seu desenvolvimento.

Ensina-nos o Cristo sobre a Paz que excede a todo entendimento, a Paz com o templo da própria consciência. Sem ela, o equilíbrio necessário à nossa saúde estará comprometido.

Saúde e Paz são conquistas do espírito em aprendizado para o Amor e Conciliação Universal.

Ninguém é feliz sozinho.

Ousamos afirmar que também ninguém é saudável sozinho.

A saúde é conquista coletiva também. Somos responsáveis por um ambiente coletivo saudável socialmente, psicologicamente, espiritualmente.

Pratiquemos o perdão das ofensas, a reconciliação com os inimigos enquanto estamos juntos no caminho.

Marchemos confiantes nos ensinos de Jesus.

Este ambiente de saúde que todos aspiramos é o reino de Deus prometido que deverá ser edificado por todos nós!

Abraços fraternos 

Brolio 

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

A Fé


Vamos rogar à assistência de Deus e Jesus nosso Mestre, particularmente a assistência por aqueles que não têm Fé.

A falta de Fé é uma das dificuldades maiores que a humanidade enfrenta desde todos os tempos. Às vezes a pessoa diz que tem Fé, que acredita em determinada religião, mas é uma Fé extemporânea, superficial, não construtiva.

Quando a pessoa tem Fé de verdade, ela é uma pessoa introspectiva, que analisa a própria situação, que consegue transformar o próprio íntimo para se amoldar às circunstâncias, e ela não se debate de maneira nenhuma diante de nenhuma dificuldade.

Então fica fácil reconhecer quando uma pessoa não tem Fé.

Ela não tem fé: ela se debate, ela vocifera palavras difíceis, fala calúnia contra Deus, se coloca em punho rígido contra a Natureza, como se o Criador fosse responsável por suas mazelas.

A pessoa que tem Fé, não faz isso, ela é proporcionalmente mais serena, quanto maior a sua Fé.

Alguém pode dizer:

- Mas, eu tenho medo. O medo é falta de Fé?

É, o medo é falta de Fé.

Eu não me canso de recordar da imagem do Cristo carregando a pesada cruz de madeira, por toda uma trajetória até o ponto de cair de vez depois te ter sido espancado, maltratado, chicoteado, sem reclamar de absolutamente nada e sem medo, sem medo.

Cristo foi a criatura encarnada na terra de maior coragem, por uma simples razão, é um Espírito Puro que sabe que tudo que temos na Terra é transitório e fugaz, e tem Fé, absoluta Fé no Criador então, não tem como ter medo.

Quem sabe um dia nós consigamos tem uma réstia, uma fração mínima que seja desta Fé que o Cristo tem.

Que Deus nos abençoe!

Augusto Militão Pacheco

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Serenidade


"Não se turbe o vosso coração".

Diante das provas da vida que possamos manter um mínimo de serenidade para que consigamos encontrar as soluções para os problemas que venhamos a enfrentar, pois não há como ser um bom combatente se não mantivermos algum grau de lucidez em nossa mente.

As provas vêm e vão mas nós persistiremos já que não deixaram de existir.

A cada reencarnação novas etapas, novos aprendizados.

Se estivermos bem dispostos tudo ficará muito menos complexo e poderemos seguir adiante sem tantas dificuldades, já que nosso olhar será mais maduro.

Diante do problema, portanto, serenidade para encontrar a solução.

Deus nos ampare em nossos propósitos.

Samuel

terça-feira, 12 de setembro de 2017

O ferreito intransigente


Conta-nos um amigo, uma história bastante interessante ocorrida em tempos medievais, numa pequena aldeia que certamente já foi transformada pelos séculos, onde vivia um ferreiro, jovem ferreiro que tinha um extremado amor pela justiça.

Guardava consigo uma tremenda intolerância para com os erros dos outros e a quem pudesse acusar, acusava e apontava os erros com muita veemência e praticamente sem tolerância alguma.

Eis que este ferreiro, tomado por esta onda de grande razão, se dirige ao juiz de Direito da cidade para exigir-lhe que melhorasse as condições da prisão que a pequena aldeia tinha. E o juiz, certamente, com sabedoria recebeu e ouviu o jovem entusiasmado, mas lhe disse que era preciso aguardar por que a justiça se faz com amor e não com rancor, mas o ferreiro achava um absurdo que aquele cubículo fosse tão malconservado e favorecesse tanto a fuga dos prisioneiros que cultivavam o crime na própria alma.

Insistindo com o gerente da cidade, da localidade, acabou conseguindo o alvará para reconstruir a prisão da sua aldeia e fez isso com muito esmero.

Com alguns auxiliares fez uma nova prisão com muitas barras, com sistema de cadeados que tornava impossível a fuga do prisioneiro e ainda teve o capricho de colocar no meio da cela uma barra de ferro dotada de algemas, qual fosse um pelourinho, impossível e escapar.

O trabalho foi tão bem feito, que outras localidades da mesma região ficaram sabendo e começaram e começaram a convidá-lo para reformar as prisões em todos os lugares.

Isso lhe rendeu fama e fortuna.

O ferreiro se fez, depois de rico e poderoso mudou-se de sua aldeia para uma grande metrópole onde viveu vastos anos; em torno de 20 anos; construindo prisões, todas com a sua marca registrada.

Após esse período um pouco mais longo, entretanto, cometeu um pequeno deslize acreditando tratar-se de uma defesa própria e todos aqueles que dele não gostavam, manipularam as coisas para que ele fosse preso.

Imediatamente, começou a passar pela sua mente os artifícios que poderia lançar mão para sair da prisão, mas quando se deu conta prestou atenção nas marcas das ferragens da prisão e via que aquela era mais uma das prisões construídas por ele e, portanto, impossível de escapar. Em função disso levado pelo desânimo e profunda depressão ele veio a falecer.

Veja que coisa interessante, aquele ferreiro intolerante, intransigente, foi pego pela própria armadilha.

Que Jesus nos abençoe!

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Sabemos das coisas?


A humanidade sempre acha saber excessivamente, mas, em tempo algum adquiriu a verdadeira sabedoria.

É por esta razão que, até agora, tudo que foi pesquisado, tudo que foi descoberto vem sendo utilizado também como ferramenta de destruição.

Mesmo como indivíduo, o Ser humano imagina saber das coisas, mas não tem a necessária sabedoria para vivenciar no Bem. 

Nas atividades evangélicas toda a atenção é necessária para que se obtenha êxito na tarefa que nos foi confiada. 

Há aqueles que pretendem guardar toda a revelação do Céu para impor aos outros; que se julgam humildes, mas adoram tiranizar  e dominar; que se dizem pacientes, mas irritam a quem os ouve; que se afirmam crentes, mas confundem a fé alheia ao mostrar atitudes insólitas; que praticam o Bem fora de casa, esquecendo de mínimas obrigações domésticas. 

Estes são daqueles que julgam saber sem saberem de fato. 

Os que são sabios de verdade  ajudam sem ofender, melhoram sem ferir, esclarecem sem perturbar. 

Usam o silêncio e a palavra, localizam o Bem e o mal, identificam a sombra e a luz e aplicam o Evangelho de Jesus em todas expressões. 

Ligam-se ao Cristo e distribuem Suas bênçãos.

Não desistem diante dos obstáculos.

Utilizam os próprios conhecimentos como fonte de Amor ao próximo.


Militão Pacheco 

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Espíritos podem auxiliar os homens na ciência?


Os Espíritos podem guiar os homens nas pesquisas científicas e nas descobertas?

"A ciência é obra do gênio. 

Só deve ser adquirida pelo trabalho, pois é somente pelo trabalho que o homem se adianta no seu caminho. 

Que mérito teria ele se lhe bastasse apenas interrogar os Espíritos para saber tudo? 

A esse preço, qualquer imbecil poderia tornar-se sábio. 

O mesmo se dá com as invenções e descobertas industriais. 

Além disso, ainda há outra consideração a fazer: cada coisa tem que vir a seu tempo e apenas quando as ideias estão maduras para a receber. 

Se o homem tivesse esse poder, subverteria a ordem das coisas, fazendo que os frutos brotassem antes da estação própria. “Deus já disse ao homem: tirarás da terra o teu alimento, com o suor do teu rosto. 

Admirável figura, que pinta a condição em que ele se encontra nesse mundo. Tem que progredir em tudo, pelo esforço no trabalho.

Se lhe dessem as coisas inteiramente prontas, para que lhe serviria a inteligência? Seria como um estudante, cujas tarefas fossem feitas por outro.”

Do Livro dos Médiuns 

domingo, 3 de setembro de 2017

Nós somos os construtores 


Nas palavras de Jesus: "Vá e não peques mais" Lembra-nos assim o Amado Mestre que somos nós próprios os construtores ou os detratores da saúde.

Cabem a nós as escolhas que condicionam hoje e que condicionarão no futuro os males e as restrições que iremos sofrer.

Assim, através do livre-arbítrio, procuremos valorizar sempre e sermos gratos pelas oportunidades recebidas da vida e das experiências vivenciadas.

Largo é o campo que nos compete nos próprios processos de cura das enfermidades.

Pensamento claro e reto no Bem é caminho seguro de prevenção de inúmeros males.

Aceitação é bálsamo a semear e minimizar dores e mazelas.

E o que dizer do Perdão das ofensas?

Remédio abençoado, diretriz de higiene mental e bálsamo de dores.

Na obtenção do equilíbrio físico, psíquico, emocional e espiritual nos apontou Jesus o caminho a seguir.

Vamos e evitemos o pecado, através do pensamento, da palavra e das ações.

Sigamos em paz, cultivemos o perdão, a gratidão e a aceitação através de tudo que nos acomete.

Que Deus em sua infinita misericórdia nos auxilie neste exercício diário!

Abraços fraternos 

Brolio

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Ver



A visão não é função única e exclusiva  dos olhos físicos, de modo algum.

Senão, vejamos que refletir é ver com a consciência, imaginar é ver com a mente, calcular é ver com a lógica e, finalmente, lembrar é ver com a memória. 

A visão é potencial complexo do Espírito.

Ela se expande e se enriquece constantemente, à medida que seus poderes e emoções se desenvolvem e se aprimoram. 

Há quem desejaria ter potencias psíquicas de clarividência.

Para este intento que guarde a pureza no coração, a fim de que ela regenere o mundo emocional, fornecendo equilibrando aos desejos, na direção do Bem Infinito. 

Quem procura o “lado melhor” dos acontecimentos, a “parte mais nobre das pessoas” e a “expressão mais útil” das coisas, está conquistando preciosos acréscimos de visão.

Entretanto, quem se deixe levar pelas paixões perturbadoras, enriquecendo-se de egoísmo e de ódio, só poderá ver com a matéria os problemas inquietantes e dolorosos que à ela se ajustam. 

Purifique o Espírito e poderá descobrir novos horizontes da gloriosa imortalidade. 

Todos enxergam alguma coisa na vida comum, mas raros sabem ver.


Manoel 

O pão


A história já foi contada por um Espírito amigo, mas vale a pena ser lembrada:

Havia um rei muito rico, poderoso, que por conta das dificuldades naturais que a vida oferece, desencarnou. Ao despertar na vida Espiritual, imediatamente procurou o seu castelo, foi em busca da rainha, sua esposa que não lhe dava ouvidos de maneira alguma e que por se sentir mal com a presença dos objetos outrora pertencentes ao marido, estava se desfazendo de todos, esvaziando os salões, as salas, os quartos do castelo, doando tudo quanto podia e além de tudo não lhe dava a mínima atenção.

Após inúmeras tentativas foi por procurar pelos seus filhos, passando por cada um deles e observando que a memória do pai só era evocada nas oportunidades em que se digladiavam para ter o trono que outrora pertenceu ao pai.

Procurou então pelos serviçais do castelo, mas todos estavam sendo exonerados dos cargos, sendo trocados por outros da confiança da rainha e dos príncipes que ficaram. Poucos daqueles que lhe eram fiéis sobraram e então ele perdeu toda a identidade com o seu castelo e com os seus familiares.

E entristecido começou a chorar, e chorando fez com que os olhos ficassem turvos de lágrimas e deixasse de enxergar, perambulando por sombras, por lugares lúgubres, malcheirosos, sentia-se penalizado, cansado, deitava no lodo, sentia-se cheirando mal, com feridas no corpo, mas um dia tão cansado, um dia de exaustão, por alguma razão que ele não sabia qual era, ele conseguiu fazer uma prece e tomado por uma novo ânimo dado pela prece, começou novamente a caminhar e caminhou longamente até chegar diante de um portal. Um portal iluminado onde via uma entidade Espiritual brilhante que lhe estendeu a mão e disse:

- Meu filho, a tua prece, te trouxe até aqui.

Mas a curiosidade deste rei lhe fez perguntar ao Ministro da Luz:

- Como eu posso ter conseguido chegar a um lugar tão lindo, pois a minha consciência me acusa das maldades que eu fiz, eu carrego nos ombros mortes, perdas, enfim, nem tenho vontade de dizer...

O Ministro lhe disse:

- Você se lembra de todos os momentos de sua vida? Lembra-se de algum momento no qual você possa ter estendido a mão a alguém? Dado auxílio a alguém?

Evidentemente, inspirado pelo Ministro da Luz, o rei se recordou de um pobre menino relegado, a quem ele estendeu um pão.

E o Ministro lhe disse:

- Então, esse rapaz que você auxiliou com um pão, tem orado por você por décadas, tem lhe amparado nas orações e você pode seguir a luz dessa prece, passando pelos portões e indo ao encontro deste menino.

E ele foi, foi seguindo a luz até alcançar um jovem de seus trinta anos, forte, trabalhando numa oficina de carpintaria, reconheceu um jovem, embora já mais maduro e espiritualmente o abraçou com muito carinho. O jovem sentiu a sua presença e lhe fez uma prece fervorosa que renovou as energias deste rei tão arrependido.

Um ano e meio depois, o jovem carpinteiro carregava no colo uma criança, loira, de olhos azuis, que tivera a oportunidade de nascer em sua família para reparar os erros cometidos na vida anterior como rei.

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Quem...



Quem somente identifica o lado imperfeito dos outros, sem lhes observar a boa parte que todos temos;

Quem jamais se vê disposto a esquecer as ofensas de que tenha sido alvo; 

Quem apenas se lembra dos adversários com o propósito de arrasá-los, sem reconhecer as dificuldades e os sofrimentos; 

Quem não analisa as razões dos outros, fixando-se quase que exclusivamente nos direitos que julga lhe pertencer;

Quem não se enxerga passível de censura ou de advertência, em momento algum; 

Quem se considera não corrigível nas opiniões que emita ou na conduta que tenha;

Quem não reconhece os próprios erros e vigia incessantemente as faltas alheias; 

Quem não se dispõe a pronunciar uma só frase de consolação e esperança, em favor dos caídos na penúria moral; 

Quem se utiliza da verdade exclusivamente para ameaçar ou ferir... 

Será, talvez de todos nós, aquele que mais exija entendimento e ternura, de vez que, desajustado na intolerância, se mostra sempre desvalido de Paz e necessitado de Amor.



Fascinação


A fascinação é um processo de obsessão dos mais graves.

É nas obras básicas da Doutrina que podemos ler a respeito dessa situação obsessiva: "A tarefa de desobsessão se torna mais fácil quando o obsedado, compreendendo a sua situação, oferece o concurso da sua vontade e das suas preces. Dá-se o contrário quando, seduzido pelo obsessor."

Na fascinação existe um mecanismo de profunda ilusão instalada na mente enferma do paciente.

Ele afeta (o mecanismo de ilusão) as faculdades intelectuais, distorcendo o raciocínio, a capacidade de julgamento e a razão.

O Espírito obsessor engana o enfermo, explorando suas fraquezas morais, iludindo-o com falsas promessas.

Um fascinado não admite que está obsediado.

A falha moral que provoca a fascinação é, na maioria das vezes, o orgulho. Mas, pode ser, também a vaidade e/ou o egoísmo.

Podem ser os três fatores ao mesmo tempo.

Infelizmente todos nós seres humanos ainda temos essas ervas daninhas na intimidade do Ser.

Bons valores mediúnicos já se perderam por causa da supervalorização que algumas pessoas deram ao seu amor próprio.

Os Espíritos fascinadores são hipócritas.

Não possuem qualquer receio de se enfeitar com nomes honrados e, mesmo assim, levarem suas vítimas a tomarem atitudes ridículas perante a coletividade.

A fascinação é mais comum do que se pensa.

O Espiritismo ainda alerta para outro grave perigo: o da fascinação de grupos espíritas.

Iniciantes afoitos e inexperientes podem cair vítimas de Espíritos embusteiros que se comprazem em exercer domínio sob todos aqueles que lhes dão ouvidos, manifestando-se algumas vezes como guias e outras como Espíritos de outra natureza.

A fascinação também pode cair sobre grupos experientes que se julguem maduros o suficiente para ficarem livres de sua danosa influência.

O orgulho e o sentimento de superioridade é a porta larga para a entrada dos Espíritos fascinadores.

Então deve-se tomar todo o cuidado quando na direção de centros espíritas e das sessões de atividades mediúnicas.

Os dirigentes são alvos preferidos dos Espíritos hipócritas que, dominando-os, podem mais facilmente dominar o grupo.

É necessário vigilância perene no trabalho mediúnico: sem ele não ficamos, mas a responsabilidade junto a ele é enorme!


José

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Mais dúvidas 



• O que é o Espiritismo?

É o conjunto de princípios e leis, revelados pelos Espíritos Superiores, contidos nas obras de Allan Kardec que constituem a Codificação Espírita: O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno e A Gênese.

“O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos Espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal.” Allan Kardec (O que é o Espiritismo – Preâmbulo)

“O Espiritismo realiza o que Jesus disse do Consolador prometido: conhecimento das coisas, fazendo que o homem saiba donde vem, para onde vai e por que está na Terra; atrai para os verdadeiros princípios da lei de Deus e consola pela fé e pela esperança.” Allan Kardec (O Evangelho segundo o Espiritismo – cap. VI – 4)


• O que é reencarnação?

Os Espíritos reencarnam tantas vezes quantas forem necessárias ao seu aprimoramento. O objetivo da reencarnação é a evolução.


• O que é mediunidade?

A mediunidade, que permite a comunicação dos Espíritos com os homens, é uma faculdade que muitas pessoas trazem consigo ao nascer, independentemente da religião ou da diretriz doutrinária de vida que adotem. Mas atenção: prática mediúnica espírita só é aquela que é exercida com base nos princípios da Doutrina Espírita e dentro da moral cristã. Portanto, em hipótese alguma o médium poderá cobrar dinheiro, exigir ou aceitar qualquer forma de recompensa (presentes, dádivas, agrados, etc.) por suas atividades mediúnicas.


• O que são os Espíritos?

Os Espíritos são os seres inteligentes da criação. Constituem o mundo dos Espíritos, que preexiste e sobrevive a tudo. Os Espíritos são criados simples e ignorantes. Evoluem, intelectual e moralmente, passando de uma ordem inferior para outra mais elevada, até a perfeição, onde gozam de inalterável felicidade. Os Espíritos preservam sua individualidade, antes, durante e depois de cada encarnação.


• O que o Espiritismo informa sobre Jesus?

Jesus é o guia e modelo para toda a Humanidade. E a Doutrina que ensinou e exemplificou é a expressão mais pura da Lei de Deus. A moral do Cristo, contida no Evangelho, é o roteiro para a evolução segura de todos os homens, e a sua prática é a solução para todos os problemas humanos e o objetivo a ser atingido pela Humanidade.


• Onde vivem e o que fazem os Espíritos desencarnados?

Além do mundo corporal, habitação dos Espíritos encarnados, que são os homens, existe o mundo espiritual, habitação dos Espíritos desencarnados. Eles estudam, trabalham e desenvolvem diversas atividades no mundo espiritual.


• O Espiritismo tem entre seus princípios a crença em Deus?

Sim. O Espiritismo explica que Deus é a inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas. É eterno, imutável, imaterial, único, onipotente, soberanamente justo e bom. O Universo é criação de Deus. Abrange todos os seres racionais e irracionais, animados e inanimados, materiais e imateriais. Todas as leis da Natureza são leis divinas, pois que Deus é o seu autor. Abrangem tanto as leis físicas como as leis morais.


• O Espiritismo tem, entre seus princípios, a existência de vida em outros mundos?

Sim. A Doutrina Espírita esclarece que no Universo há outros mundos habitados, com seres de diferentes graus de evolução: iguais, mais evoluídos e menos evoluídos que os homens.


• Quantos adeptos do Espiritismo há no Brasil?

De acordo com o Censo 2010 (IBGE), há 3,8 milhões de espíritas no Brasil.


• Quantos Centros Espíritas existem no Brasil?

Cadastrados junto à Federação Espírita Brasileira há 14 mil Centros Espíritas.


• Os Espíritos sabem todas as coisas?

Os Espíritos são as almas dos homens que já perderam o corpo físico. A exemplo do que observamos na Humanidade encarnada, o conhecimento que eles têm é correspondente ao seu grau de adiantamento moral e intelectual. A morte é uma passagem para a vida espiritual e não dá valores morais ou de inteligência a quem não os tem.


• Os Espíritos podem reencarnar em corpos de animais?

Não. Os Espíritos evoluem sempre. Em suas múltiplas existências corpóreas podem estacionar, mas nunca regridem. A rapidez do seu progresso intelectual e moral depende dos esforços que façam para chegar à perfeição.


• Espiritismo é o mesmo que Umbanda ou Candomblé?

Não. O Espiritismo é uma doutrina que surgiu na França, em 1857. O Candomblé (de origem africana) e a Umbanda (originária do Brasil) são doutrinas espiritualistas.


• Todos os Espíritos são iguais?

Não. Os Espíritos pertencem a diferentes ordens, conforme o grau de perfeição que tenham alcançado: Espíritos Puros, que atingiram a perfeição máxima; Bons Espíritos, nos quais o desejo do bem é o que predomina; Espíritos Imperfeitos, caracterizados pela ignorância, pelo desejo do mal e pelas paixões inferiores.


• Somente pelo Espiritismo se pode ter contato com os Espíritos?

Não. As relações dos Espíritos com os homens são constantes e sempre existiram. Os bons Espíritos nos atraem para o bem, sustentam-nos nas provas da vida e nos ajudam a suportá-las com coragem e resignação. Os imperfeitos nos induzem ao erro.


• O que é lei de causa e efeito?

É uma lei criada por Deus e que dispõe que o homem tem o livre-arbítrio para agir, mas responde pelas conseqüências de suas ações. O que fazemos de mal e de bem retornará para nós nessa mesma vida ou em existência posteriores. A vida futura reserva aos homens penas e gozos compatíveis com o procedimento de respeito ou não à Lei de Deus.


• O que é a prece, de acordo com o Espiritismo?

A prece é um ato de adoração a Deus. Está na lei natural e é o resultado de um sentimento inato no homem, assim como é inata a idéia da existência do Criador. A prece torna melhor o homem. Aquele que ora com fervor e confiança se faz mais forte contra as tentações do mal e Deus lhe envia bons Espíritos para assisti-lo. é este um socorro que jamais se lhe recusa, quando pedido com sinceridade.


• Nas instituições espíritas há algum tipo de pagamento?

Não. Toda a prática espírita é gratuita, como orienta o princípio moral do Evangelho: “Dai de graça o que de graça recebestes”.


• O Espiritismo revela algo novo?

Sim. O Espiritismo revela conceitos novos e mais aprofundados a respeito de Deus, do Universo, dos Homens, dos Espíritos e das Leis que regem a vida. Revela, ainda, o que somos, de onde viemos, para onde vamos, qual o objetivo da nossa existência e qual a razão da dor e do sofrimento.


• O Espiritismo tem rituais ou sacerdotes?

Não. A prática espírita é realizada com simplicidade, sem nenhum culto exterior, dentro do princípio cristão de que Deus deve ser adorado em espírito e verdade. O Espiritismo não tem sacerdotes e não adota e nem usa em suas reuniões e em suas práticas: altares, imagens, andores, velas, procissões, sacramentos, concessões de indulgência, paramentos, bebidas alcoólicas ou alucinógenas, incenso, fumo, talismãs, amuletos, horóscopos, cartomancia, pirâmides, cristais ou quaisquer outros objetos, rituais ou formas de culto exterior.


• O Espiritismo é proselitista? Existem campanhas para que as pessoas se tornem Espíritas.

Não. O Espiritismo não impõe jamais os seus princípios. Convida os interessados em conhecê-lo a submeterem os seus ensinos ao crivo da razão, antes de aceitá-los.


• Como o Espiritismo se relaciona com as demais religiões?

O Espiritismo respeita todas as religiões e doutrinas, valoriza todos os esforços para a prática do bem e trabalha pela confraternização e pela paz entre todos os povos e entre todos os homens, independentemente de sua raça, cor, nacionalidade, crença, nível cultural ou social. Reconhece que “o verdadeiro homem de bem é o que cumpre a lei de justiça, de amor e de caridade, na sua maior pureza”.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Perguntas e respostas interessantes


1. O que é energia?

A energia de um corpo é a capacidade que este tem de gerar qualquer ação. Como há várias formas de energia, pode haver várias formas de ação possíveis. À energia calorífica, uma ação possível seria o aquecimento. À energia elétrica, uma ação possível seria a geração de corrente. À energia magnética, uma ação possível seria a magnetização de outro corpo. Em geral os corpos têm vários tipos de energia, e, por conseguinte, podem atuar no meio no qual estão inseridos de várias formas. Por exemplo: o corpo humano é capaz de aquecer o ambiente – nesse caso é utilizada a energia calorífica; é capaz de movimentar objetos – nesse caso é utilizada a energia mecânica; é capaz realizar o processo da digestão – nesse caso, dentre outras, utiliza a energia química; e assim por diante. No passe, os pensamentos do passista e da equipe de Espíritos, reunidos, formam a energia espiritual que atua no paciente e diretamente nos fluidos, que são energia magnética, dando- lhe características necessárias ao paciente. Assim, podemos dizer que a energia relacionada ao passe é capaz de atuar diretamente no paciente.

2. O que é fluido?

Fluido é substância sutil, maleável, imponderável, energética, que pode ser manipulada pelo pensamento de Espíritos encarnados e desencarnados, que imprimem nele características positivas ou negativas, conforme o teor do pensamento. No passe, utiliza- se o pensamento do Espírito que coordena a tarefa, assim como do passista, de forma a impressionar positivamente os fluidos que serão doados ao paciente. O fluido, em sua mais simples expressão, é chamado de fluido cósmico universal, que representa a simplificação máxima da matéria, que, manipulada pelo pensamento do Espírito, imprime- lhe variações de onde se originam os diversos tipos de elementos hoje conhecidos.

3. O que é transubstanciação?

Transubstanciação é o efeito de se alterar uma ou mais qualidades que caracterizam determinada substância. No passe, quando se altera diversas características dos fluidos, afim de doá-los ao paciente, diz- se que os fluidos foram transubstanciados. (Veja questão 98)

4. O que é fluido animal?

Fluido animal ou magnetismo animal é a parcela de energia vital doada pelo ser encarnado, passista, no momento do passe. Tal fluido é inerente apenas a seres encarnados, sendo uma das razões pelas quais que companheiros encarnados participam de tarefas aparentemente de cunho apenas espiritual, tal como reuniões de “desobsessão”.

5. O que é fluido vegetal?

Fluido energético exalado pelos seres vivos do reino vegetal.

6. O que é perispírito?

É o corpo intermediário entre o corpo físico e o Espírito, necessário à relação entre estes dois últimos. É o laço que liga o corpo ao Espírito. Nos processos de reencarnação, é o molde determinante das características do corpo físico do Espírito que renasce.

7. O que é duplo etérico?

O duplo etérico pode ser considerado um corpo físico menos denso, energético, de onde dimanam as doações fluídicas animais (fluido animal) que o passista realiza durante a tarefa do passe.

8. O que é centro vital?

Centro vital, ou centro de força, é um ponto de convergência de energias captadas pelo perispírito, posteriormente redistribuídas a todos os órgãos deste, assim como aos corpos “inferiores” , tais como o físico e o duplo. Em geral estuda- se sete centros vitais, que se vinculam, no corpo físico, a sete importantes centros do organismo humano: centro genésico ou básico, situado próximo à região genésica; centro gástrico, situado próximo ao estômago; centro esplênico, situado próximo ao baço; centro cardíaco, situado próximo ao coração; centro laríngeo, situado próximo à laringe; centro frontal, situado entre os dois olhos e centro coronário, situado próximo à glândula pineal (ou epífise), no cérebro.

9. O que é receituário mediúnico?

É mensagem que um médium recebe por via mediúnica, geralmente pela psicografia, direcionada ao solicitante. A grosso modo, tais mensagens contêm orientações para tratamento ou uso de remédios homeopáticos. Recomenda- se que toda e qualquer receita mediúnica seja analisada racionalmente, pois submeter- se às orientações recebidas é decisão que só cabe ao paciente, sendo portanto dele quaisquer responsabilidades posteriores.

10. O que é passe?

Passe é transmissão de fluidos de uma pessoa (encarnada ou não) a outra, ou a objetos. O passista imprime aos fluidos doados, pelo pensamento, características positivas ou negativas conforme a sua vontade e o seu merecimento.

11. O que é a câmara do passe?

Local utilizado pela casa espírita para a tarefa do passe.

12. O que é sugestão mental?

Sugestão mental é o ato de incutir- se determinada idéia na mente de uma pessoa, que venha a se manifestar através de alterações comportamentais ou mesmo orgânicas. Em geral, os processos de sugestão mental envolvem a influenciação de uma pessoa pelo conjunto de idéias de outra. No entanto, observamos também a existência da auto- sugestão, caso em que o próprio sugestionado cria idéias para si, passando então a se comportar como se tais idéias fossem verdade absoluta. Os casos de falsa gravidez podem ser classificados como sendo de sugestão mental.

13. O que é placebo?

Substância sem efeito que uma pessoa absorve crendo que o efeito existe. É comum encontrarmos, em hospitais, pacientes tomando água pura pensando que estão tomando remédio. Neste caso, a água está sendo usada como placebo.

14. O que é aura?

De forma geral, todo corpo emite energias. A emissão de tais energias se chama radiação. Aura é o conjunto das radiações emitidas por determinado corpo, que o envolvem. A grosso modo, podemos dizer que há duas auras bem características em cada indivíduo: a aura do perispírito, cuja composição varia em função das aquisições milenárias do Espírito, e a aura do duplo etérico, também conhecida como aura da saúde, cuja composição, forma e coloração apresentam considerável variação mesmo ao longo dos minutos, pois reflete, quase que imediatamente, as alterações psíquicas e orgânicas ocorridas no ser.

15. O que é fotografia Kirlian?

Método de sensibilização de uma chapa fotográfica através da radiação emitida pelo corpo duplo, ou duplo etérico. Muito utilizada para a realização de diagnósticos de saúde.

sábado, 26 de agosto de 2017

Lobos 


O mundo está cheio de homens abomináveis que invadiram os domínios da política, da ciência, da religião e ergueram criações chocantes para os Espíritos "menos preparados", mais ingênuos...

Eles, entretanto, não passam de Almas que ao se deparar com a morte ficam estarrecidos e absolutamente desequilibradas ao se darem conta da existência dos círculos da Vida espiritual. 

As cobranças da própria consciência serão muitas. Dela não há como escapar!

Do cadafalso de suas noções egoístas precipitam-se em despenhadeiros apavorantes, onde perdem a pseudo-firmeza que imaginavam possuir anteriormente.

Ainda assim encontram socorro na Vida Maior, mais cedo ou mais tarde, mesmo desconhecendo a verdadeira situação em que se encontram, graças à Providência Divina.

Basta uma réstia de Luz em seu interior para ser acolhido.

Uma prece, um sinal de arrependimento que parta do coração espiritual faz toda diferença.

São filhos de Deus, afinal das contas!

Mas, a jornada não será fácil, d de modo algum!

A trilha será composta por dor e ranger de dentes, afinal a semeadura foi executada anteriormente e a colheita virá naturalmente.

Quem plantou dor colherá dor. É da Lei do Criador. 

Recomenda o amado Espírito Bezerra de Menezes que oremos por esses que causam a dor e o sofrimento, pois são nossos irmãos e necessitam de Paz. 

Afinal, se encontrarem a Paz na Terra, irão espargir a mesma Paz.

Que Deus os tenha!


Albino Teixeira 


quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Verdades



A verdade tem sempre  uma condição relativa.

Muitos  pensadores caminham pelo negativismo, convertendo o materialismo em zona de extrema perturbação intelectual, defendendo-o como verdade absoluta.

Aparentando superioridade, o cientista afirma que o real não vai além das formas organizadas.

Assim  como o  fanático, que só admite revelação divina no círculo dogmático que desposa.

Há, no entanto, quem ofereça indicação proveitosa, para os que desejam penetrar o domínio do mais alto conhecimento, não fazendo do que expressa alguma coisa "indiscutível".

É necessário seguir a "verdade na caridade", sem o propósito de transformá-la em algo de posse exclusiva.

Convertamos em amor os ensinamentos nobres recebidos. 

Verdade somada com caridade apresenta o progresso espiritual como resultante do esforço de compartilhar o conhecimento.

Se não for assim, seremos surpreendidos por vigorosos obstáculos no caminho da evolução.

É preciso crescer em tudo o que a experiência nos ofereça de útil e belo para a eternidade com o Cristo, mas só conseguiremos a realização se transformarmos a nossa verdade  em Amor aos semelhantes.

Sejamos verdadeiros, mas tentemos ser bons também.


LÍsias


quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Converter 


Os não espiritualizados, os materialistas, pretendem encontrar inteira negação da existência de Vida espiritual  nos acontecimentos de todos os tempos do Planeta.

Ainda que praticando o Bem, acreditam que as revelações sublimes não existem.

Ficam presos, por algum tempo, na ideação limitada que a Vida na matéria provoca. 

E comentam, 'entusiasmados', que se Deus existisse o Mundo "não seria a miséria que é"... 

Que, "se Deus existe, esqueceu dos crentes".

A misericórdia do Pai, no entanto,não mudou. 

A Providência Divina é invariável para todos os filhos. 

Mesmo que não creiam, são assistidos permanentemente.

São tão filhos do Criador como qualquer outro.

Em algum momento despertarão para a Vida verdadeira e servirão, cônscios de seus compromissos, na Seara do Amor, ao lado de seus irmãos.

Qualquer um de nós pode estacionar na jornada evolutiva por um período. Mas, certamente sairemos da inércia zero para a atividade perene, seja pelo Amor, seja pela dor.

Militão Pacheco 

terça-feira, 22 de agosto de 2017

O luto para o Espírita


O Espiritismo possui três princípios fundamentais:

a imortalidade da alma,
a possibilidade de nos comunicarmos com os mortos
e a reencarnação.


Para o Espírita a morte é um momento em meio a um caminho infinito; é uma transformação e não um ponto final, não é o fim.

Na morte ocorre a desencarnação, que é justamente a separação do Espírito de seu corpo físico.

Morrer é continuar vivendo em outra dimensão – a espiritual – com os sentimentos adquiridos, com a visão espiritual expandida, com os aprendizados e vivências do Ser.

O Espiritismo traz uma mensagem capaz de amenizar as angústias relacionadas à morte, à desencarnação, uma vez que sabemos que todos somos Almas imortais, reencarnantes neste Planeta, com o propósito de evolução individual e coletiva.

Além disso, através de sua ciência e filosofia, traz evidências robustas de que aqueles que se amam tornam a se encontrar, seja no mundo espiritual ou mesmo no físico, em novas experiências no corpo.

Desta forma, a morte nada mais é que a finalização de mais um ciclo, uma passagem para outro estado, outra dimensão.

Entretanto, vale recordar que, mesmo nós Espíritas somos herdeiros de uma cultura na qual é difícil aceitar a morte e muitos, embora consolados por estas informações, podemos apresentar dificuldades em enfrentar de forma apropriada o tema em questão, evitando dialogar a respeito da morte nas mais variadas oportunidades.

Embora com maiores chances de nos sentirmos consolados pela Doutrina que abraçamos, ao enfrentar a morte, nós tendemos a elaborar nossos lutos junto aos amigos e familiares de forma parecida com a dos seguidores de outras religiões: os lamentos e conversas giram em torno do evento, do morto, a saudade é sentida, os resultados discutidos, até que a nossa Vida finalmente volte ao normal, com as atividades de cotidiano sendo retomadas.

Não podemos esquecer que, em muitos casos, esta é a nossa primeira reencarnação como efetivamente Espíritas.

Por esta razão o atavismo que faz parte de nossa memória espiritual nos conduz para este comportamento.

Precisamos fazer com que o tempo desta aceitação seja reduzido graças ao conhecimento que adquirimos, assim como o sofrimento associado.

Para isso o conhecimento é necessário, mas, mais do que ele, a consciência é fundamental para o discernimento e crescimento enquanto Espíritos.

Além disso, certamente podemos contar com o amparo da Espiritualidade que sempre nos ampara em todos os momentos mais difíceis.


Militão Pacheco

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Jornada


Pai amado, Pai de misericórdia, vos pedimos discernimento e equilíbrio para o enfrentamento dos eventos de nossa jornada, mesmo para aquelas que momentaneamente possam não fazer sentido no conjunto de nossas experiências. 

Todo o grão de areia é precioso na batera de nosso aprimoramento. 

Aqui estamos mais uma vez para as oportunidades de aprendizado da ética e da cidadania do Universo. 

Sim, pois seres imortais que somos precisamos aprender a palmilha cada recanto do Cosmos com a verdadeira Ética, com a Ética que o Cristo veio nos ensinar. 

Para tanto, cada vivência é enriquecedora e nos trará pois um pequenino passo nesta direção. 

Agora devemos, portanto todas as circunstâncias de aprendizado, de trabalho, de crescimento. 

Caminhemos cientes que não estamos sós, que somos amparados a todo instante pela lógica bendita de Deus, rumo à aquisição dos instrumentos necessários à nossa condição Universal : o Amor! 

Abraços fraternos 

Brólio 

domingo, 20 de agosto de 2017

Culpa 


Quando fugimos ao dever, precipitamo-nos no sentimento de culpa.

O arrependimento, incessantemente fortalecido pelos reflexos de nossa lembrança amarga, transforma-se em processo de recorrência mental, perturbando-nos, pouco a pouco.

Toda pessoa carrega consigo uma aura de forças criativas ou destrutivas que lhe marca as condições íntimas, como um feixe de raios invisíveis que lança de si mesma. 

É por essa aura que estabelecemos as nossas ligações de natureza invisível nos domínios da afinidade na Vida Espiritual.

Projetando as energias que correspondem  ao nosso próprio desgosto, ante a culpa que adquirimos, quase sempre somos subitamente visitados por silenciosa argumentação interior que nos levará ao pesar, inicialmente alimentado contra nós mesmos, em mágoa e irritação contra os outros. 

É nesse estado negativo que, dominados pelas vibrações de sentimentos e pensamentos doentios, atingimos o desequilíbrio parcial ou total da harmonia orgânica, conduzindo corpo e alma para os caminhos da enfermidade.

A noção de culpa agirá com os seus reflexos incessantes sobre a região do corpo ou da alma que corresponda ao tema do remorso de que sejamos portadores. 

Jesus, não apenas como Mestre divino mas também como sábio médico, nos aconselhou a "reconciliação com os nossos adversários, enquanto nos achamos a caminho com eles", ensinando-nos a encontrar a verdadeira felicidade sobre o alicerce do amor e do perdão.   

Militão Pacheco 

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Cura espiritual 


Você pode conseguir cura espiritual indo em uma igreja, templo, centro espírita, centro holístico, centro de ioga, centro de meditação e até em seu lar.

O conceito efetivo de "cura espiritual" considera que o tratamento acontece por ação de forças e energias não físicas, por atuação  de Espíritos através de um médium.

Essas energias contudo, podem ser de ordem natural, provinda de elementos da natureza, como também de Espíritos  guias, protetores e curadores. 

Não podemos esquecer que é fundamental a participação de um médium nesse processo.

Sem ele(a), o(a) médium, não há como os Espíritos providenciarem a cura, independente de onde o enfermo esteja.

A chave deste tipo de cura é a construção da comunhão perfeita entre o enfermo e as forças sutis dos Espíritos.

Normalmente são as preces, os passes, as intenções corretas, a elevação dos pensamentos, dos sentimentos e das emoções, o caminho mais certo para essa comunhão acontecer.

A Fé nem mesmo é essencial nesse momento.

Enfim, é fundamental a sintonia entre os Espíritos curadores e a Alma enferma para que ocorra o processo de cura espiritual, ainda que o enfermo não tenha consciência do fato.

Além de tudo, o processo pode ser espontâneo, natural, sem que o enfermo se dê conta.

Essa é a grande beleza da ação amorosa dos Espíritos que desejam o Bem da humanidade.

Militão Pacheco.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Hábitos 


O hábito é uma continuidade de reflexos mentais acumulados constantemente induzindo à rotina. 

Herdeiros de milênios, temos reencarnado quase como embarcações ao bel-prazer da correnteza em um fluxo de hábitos aos quais nos ajustamos sem resistência.

Até porque nos causam prazer e dão satisfação. 

Com naturais exceções, todos adquirimos o costume de consumir os pensamentos coletivos pelo automatismo, e, em razão disto, exageramos as nossas necessidades, afastando-nos da simplicidade com que nos seria fácil erguer uma vida melhor.

Esta atitude só serve para ferir o próximo e cicatrizar a nós mesmos.

Retemos  apaixonadamente o instinto da posse e, assim, criamos os reflexos do egoísmo, do orgulho e da vaidade. 

Não se pode, porém, de modo algum, desprezar a rotina construtiva. 

É por ela que o Ser se ergue no espaço e no tempo, conquistando os recursos que lhe enobrecem a vida. 

A evolução, contudo, solicita a aquisição de novos costumes e abandonarmos as fórmulas inferiores.

É por essa razão que temos no Cristo o Divino marco da renovação humana.

Trouxe todo um programa de transformações profundas para o Espírito, chamado Boa Nova ou Evangelho.

Sem qualquer violência altera os padrões da expressão moral em que a Terra vivia há numerosos milênios. E, apesar disso, ainda vive...

Oferece a prática do perdão. 

Permeia a fraternidade legítima. 

Dá  a noção das bem-aventuranças eternas para os aflitos que sabem esperar e para os justos que sabem sofrer.

Muda tudo para todos.

Reformula o modo de pensar.

Estabelece o hábito da simplicidade,

E mais: exemplifica!

Ainda hoje a nossa justiça tem o viés da vingança e o nosso Amor é egoísta  por causa do  reflexo condicionado de nossas atitudes irrefletidas nos milênios que nos precedem atualmente.

Precisamos adotar a bondade e o entendimento sobre as coisas da Vida.

É necessário conquistar o desejo de servir, habitualmente, colaborando para a segurança e felicidade de todos.

Ainda que seja à custa de nosso sacrifício.

Somente assim estaremos realizando uma transformação efetiva de nós para o futuro e  para a evolução.

Júlio César